Orgasmo masculino: tudo o que você precisa saber

O orgasmo masculino talvez não seja tão simples quanto parece
BLOG OMENS / Sexualidade
Escrito por

Caio Vega

Revisado por

Dr. João Brunhara

CRMSP 161.642
Última atualização

28 de maio 2021

Muita gente considera o orgasmo masculino como mais fácil de alcançar do que o orgasmo feminino, além de menos complexo. A realidade, no entanto, é que ele é mais diversificado do que parece.

Por isso, hoje vamos analisar mais de perto o orgasmo masculino!

Os 3 tipos de orgasmo masculino

Há uma tendência a reduzir o orgasmo masculino a uma ejaculação automática. A questão é, na verdade, mais complexa, principalmente em relação ao psicológico do homem. As pessoas geralmente conhecem apenas o orgasmo “clássico”, que se manifesta pela ejaculação, mas existem também outros tipos.

1 — O orgasmo ejaculatório

Quando pensamos no orgasmo masculino, pensamos na “ejaculação”. Com toda a certeza, o ejaculatório é o tipo de orgasmo mais conhecido. Estamos falando do tradicional, que os homens alcançam através da ejaculação após a estimulação sexual.

Nesse sentido, a ejaculação coincide com o ápice do prazer sexual: o orgasmo.

Dá para aumentar a quantidade de esperma na ejaculação?

Em média, uma ejaculação resulta na liberação de 4 ml de sêmen, o equivalente a uma colher de café. Além disso, quando as ejaculações acontecem em intervalos curtos de tempo, o volume de esperma diminui. São necessários de 1 a 2 dias para se recuperar o volume normal.

Por outro lado, o volume de sêmen é considerado anormalmente baixo quando o corpo produz menos de 1,5 ml. Nesse caso, tem-se a hipospermia.

Diferentes fluidos nutritivos compõem o esperma humano. A função deles é garantir a sobrevivência dos espermatozoides antes da fecundação. Como a maioria dos fluidos humanos, eles são compostos essencialmente de água. A fim de equilibrar a quantidade de esperma, é recomendável manter um bom nível de hidratação.

Além disso, a produção de sêmen está ligada à produção de testosterona. Para maximizar a produção de testosterona, é preciso se atentar aos aspectos de um estilo de vida saudável, por exemplo: praticar esportes regularmente, adotar uma dieta sadia, evitar cigarros, álcool e refrigerantes.

Colocar esse conselho em prática irá potencializar a quantidade de esperma que o corpo produz. No entanto, devemos ressaltar que a quantidade de líquido seminal nunca alcançará as ejaculações exageradas que se vê em filmes pornográficos.

Na grande maioria dos casos, o desejo de aumentar a quantidade de esperma vem de tentar imitar os pornôs.

Por isso, é preciso lembrar que, antes de tudo, a pornografia é cinema! Surpreendentemente, a ejaculação que aparece no vídeo muitas vezes nem é real. Não é o esperma do ator de verdade, mas uma mistura de clara de ovo, leite condensado e açúcar de confeiteiro. Então, uma pequena bomba escondida sob o pênis lança a mistura.

Queda da testosterona, andropausa e ereção [Vídeo]

O envelhecimento humano traz várias mudanças. Para o homem, uma das mais citadas é a andropausa: mas ela existe mesmo? O que é e quais são os sintomas da andropausa? E os outros fatores relacionados ao envelhecimento, como uma testosterona baixa e problemas de ereção (disfunção erétil)?

O Dr. João Brunhara explica melhor nesse vídeo algumas dessas questões para se ter um envelhecimento saudável.

2 — Orgasmo masculino: é possível gozar sem ejacular?

Em alguns casos, o homem pode sentir as sensações do orgasmo sem expelir o sêmen. Chama-se isso de anejaculação ou orgasmo seco. Esses 2 casos são bastante distintos.

Ejaculação controlada

Neste primeiro caso, a ausência de ejaculação é realmente o que o indivíduo busca. Para isso, utiliza-se de técnicas inspiradas nas tradições orientais tântricas e taoístas. O método alia a respiração ventral a exercícios de controle dos músculos ejaculatórios.

É possível bloquear a chegada da ejaculação pressionando o dedo em um ponto preciso entre o saco escrotal e o ânus. O esperma é, então, interrompido na próstata e os músculos ejaculatórios se contraem vazios, sem perda de ereção

Os homens que dominam essas técnicas conseguem os chamados “orgasmos múltiplos”. Os estudos sobre orgasmos múltiplos no homem mostraram que o contexto e a qualidade do relacionamento com o parceiro são fundamentais para se atingir esse nível de realização.

Além disso, a técnica de pressionar a região do períneo deve ser utilizada com muita cautela, pois, se mal executada, pode levar à inflamação ou mesmo à danificação dos músculos ejaculatórios.

Anejaculação indesejada

Neste segundo caso, a anejaculação não é desejada. Os músculos ejaculatórios se contraem, a sensação de orgasmo está presente, mas não se expele o sêmen.

Pode haver 2 causas para isso: não existe emissão de esperma (aspermia) ou o sêmen está sendo mal direcionado no sistema ejaculatório (ejaculação retrógrada).

A aspermia refere-se à situação em que o indivíduo não produz esperma. Não há sêmen a ser expelido justamente por não ter sido produzido. A causa pode ser congênita (malformação de um órgão urogenital) ou iatrogênica (consequência de um medicamento ou cirurgia).

No caso da ejaculação retrógrada, o esperma é produzido mas não é expelido do pênis devido a uma disfunção do sistema. Na maioria das vezes, o problema está no esfíncter da bexiga. Então, em vez de entrar na uretra, o sêmen vai para a bexiga “mal fechada”. As causas são: cirurgias no sistema urogenital, neuropatias causadas por doenças como diabetes ou ingestão de alguns medicamentos psiquiátricos, para a próstata ou hipertensão.

O atendimento personalizado de um urologista pode te ajudar!

Teleconsultas (por chat, vídeo ou celular) com médicos especialistas em saúde sexual masculina: a partir de R$ 69.

Prescrição médica e entrega a domicílio de medicamentos e tratamentos manipulados.

Agendar Teleconsulta

e receber tratamento médico!

3 — Orgasmo masculino da próstata: como funciona?

O orgasmo prostático é alcançado pela estimulação da próstata, sem que o pênis receba esímulos.

O prazer através da próstata é obtido com uma massagem aplicada no reto. Com essa técnica dominada, é possível ter um orgasmo com ou sem ejaculação. 

Alguns homens descrevem esse orgasmo como sendo mais intenso e complexo. Entretanto, nem todos os homens parecem responder da mesma forma aos estímulos na próstata.

Anorgasmia: as dificuldades dos homens em atingir o orgasmo

Em alguns casos, os homens podem ter dificuldade em atingir o orgasmo: eles não atingem o pico de prazer e são incapazes de ejacular. É diferente dos casos de anejaculação, em que há a sensação de orgasmo, mas nenhuma ejaculação.

Orgasmo masculino: o que é anorgasmia

Define-se a anorgasmia como um orgasmo ausente ou insuficiente durante o ato sexual. O distúrbio pode ser considerado primário ou secundário.

A anorgasmia primária é quando o homem nunca teve um orgasmo durante o sexo. Dizemos que a anorgasmia é secundária quando a dificuldade em atingir o orgasmo ocorre na vida sexual do paciente após um período de “normalidade”.

As causas da anorgasmia

Na maioria das vezes, as causas da anorgasmia masculina são psicológicas (psicogênicas). A anorgasmia total ocorre quando o homem nunca goza, mesmo durante a masturbação.

A anorgasmia pode ser psicogênica de ordem “relacional”, ou seja, o homem consegue gozar quando está sozinho.

Por fim, a anorgasmia pode ser “de coito”, quando a relação sexual com outra pessoa nunca proporciona um orgasmo, somente outras atividades sexuais.

Em casos de anorgasmia de origem psicológica, muitas vezes encontramos no passado do paciente uma educação bastante rigorosa, frequentemente religiosa e com tabus fortes (conscientes ou inconscientes) em torno da sexualidade.

O alcoolismo também é uma fator para a anorgasmia.

Existem também causas iatrogênicas, como a ingestão de certas medicamentos psiquiátricos ou anti-hipertensivos. Mas é possível encontrar uma solução, modificando o tratamento do paciente. Infelizmente, em vez de conversar com o médico que prescreveu os remédios, o paciente, quando nota alguma disfunção sexual, muitas vezes interrompe o tratamento sem relatar o ocorrido.

Por fim, deve-se observar que a anorgasmia pode ser uma consequência física de certas cirurgias na região urogenital.

O atendimento personalizado de um urologista pode te ajudar!

Teleconsultas (por chat, vídeo ou celular) com médicos especialistas em saúde sexual masculina: a partir de R$ 69.

Prescrição médica e entrega a domicílio de medicamentos e tratamentos manipulados.

Agendar Teleconsulta

e receber tratamento médico!

Orgasmo masculino: como tratar a anorgasmia?

Os casos com origens puramente físicas são, na prática, bastante raros. Muitas vezes são precedidas por uma perda na ereção, e é a disfunção erétil, então, que será tratada em primeiro lugar.

Para a grande maioria dos casos psicogênicos, o tratamento deve ser psicológico. Dependendo da situação, pode ser uma terapia de casal com um psicólogo ou uma terapia sexual com um médico. Em muitos casos, é necessária uma psicoterapia individual. 

Anorgasmia e o vício em pornô

O vício em pornografia pode ser uma das causas da anorgasmia. Na verdade, para alguns viciados em pornografia, desenvolver fantasias no mundo virtual faz com que o sujeito perca sua excitação no mundo real. 

A pessoa terá muita dificuldade em gozar durante a relação sexual, sendo capaz de atingir o orgasmo apenas ao reencontrar o mundo imaginativo virtual.

Para isso, é desejável um acompanhamento psicológico, que costuma ser bastante eficaz em recuperar a excitação sexual.

Aspermia vs. Anorgasmia: ausência de esperma

No caso da aspermia, o orgasmo existe (no sentido de haver a sensação de prazer). Os músculos responsáveis por expelir o esperma se contraem, mas o sêmen não sai, justamente porque sua produção não aconteceu.

Deve-se investigar as causas no histórico do paciente: intervenções cirúrgicas, medicações, possíveis malformações…

Anejaculação vs. Anorgasmia: dificuldade em ejacular

Anejaculação é a ausência de ejaculação, ou seja, quando não há saída de esperma. Os músculos ejaculatórios se contraem, há a sensação de orgasmo, mas o sêmen não sai através da uretra.

A anejaculação é, portanto, ou um orgasmo seco resultante da aspermia (não produção de sêmen), ou uma ejaculação retrógrada (o sêmen vai para a bexiga em vez de ir para a uretra).

Em caso de anejaculação ou anorgasmia, quando consultar o médico?

Quaisquer sejam os sintomas (aspermia, anejaculação, anorgasmia), recomendamos consultar um urologista. Uma vez estabelecido o diagnóstico, o paciente será redirecionado, dependendo do caso, para o profissional mais apto a cuidar dele (psicoterapeuta, urologista, sexólogo, etc.).

Outras leituras

Consulte um médico especializado em sexualidade na Omens

A Omens é uma plataforma de saúde dedicada ao homem. Ela reúne médicos urologistas e farmacêuticos com o objetivo de construir soluções seguras, de qualidade e acessíveis a todos.

A plataforma permite que você consulte online médicos especialistas em temas sobre sexualidade. A consulta online pode ser feita por mensagens, pelo celular ou por videochamada, além de apresentar muitas outras vantagens:

  • Consulte um médico especializado na área, que trata diariamente de problemas relacionados ao sexo
  • Pague menos da metade do valor de uma consulta presencial com um urologista
  • Agende uma consulta para o dia seguinte! (no Brasil, muitos pacientes têm de esperar vários meses até conseguir agendar uma consulta presencial sobre problemas sexuais com um urologista)
  • Peça pela plataforma os medicamentos necessários para o seu tratamento e eles serão entregues discretamente na sua casa por uma farmácia certificada
  • Evite o desconforto ou a vergonha na sala de espera de um consultório ou em farmácias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *