Como aumentar a circulação sanguínea no pênis?

Como aumentar a circulação sanguínea, o fluxo de sangue, em direção ao pênis
BLOG OMENS / Ereção
logo da Omens
Escrito por

Caio Vega

Revisado por

Dr. João Brunhara

CRMSP 161.642
Última atualização

14 de abril 2022

Quando falamos sobre problemas sexuais, geralmente nos perguntamos se é possível aumentar a circulação sanguínea no pênis e promover uma ereção melhor. E a resposta é: sim! Tudo que é benéfico para o sistema cardiovascular é benéfico também para a ereção. Isso fica claro quando pensamos que para o bom funcionamento da ereção, é necessário um sistema neurológico forte, artérias em um estado adequado e uma boa circulação sanguínea.

Dificuldades sexuais ocasionais, temporárias ou disfunção erétil… Nem todas essas condições têm as mesmas causas: ao identificar a origem do problema, é possível agir e melhorar a ereção.

Problemas de ereção ou algo ocasional?

Todo mundo está sujeito a ter, ocasionalmente, dificuldades na ereção, desde que sejam passageiras. E isso é normal!

Muitos ingredientes são necessários para ter uma boa ereção e a qualidade de vida (rotina, sono, atividades físicas, alimentação, etc.) influenciam diretamente na sexualidade.

Para falarmos em disfunção erétil, essas dificuldades devem ser recorrentes durante pelo menos 3 meses: isto é, três meses com uma incapacidade ou dificuldade em obter (ou manter) uma ereção suficiente para uma relação sexual satisfatória. 

Essa definição não inclui, assim, critérios mais específicos como o grau de rigidez ou de duração da ereção. Isso é normal e acontece porque, na realidade, para alguns homens, uma ereção que seja um pouco menos rígida ou que dure um pouco menos de tempo não constitui um problema para o exercício de sua sexualidade. 

No entanto, certos homens se sentem incomodados pela menor regressão de qualidade da própria ereção. 

Por isso, recomendamos que os homens se consultem com um médico especialista em sexualidade assim que perceberem que a sua ereção não é mais suficiente para uma relação sexual satisfatória.

Conheça os benefícios da Maca Peruana [Omenscast #22]

No nosso 22º episódio do Omenscast, o médico urologista João Brunhara vai falar sobre os benefícios comprovados da Maca Peruana: o que as pesquisas científicas falam sobre a substância? O que funciona e o que não funciona? A transcrição do áudio você poderá encontrar aqui.

Principais causas dos problemas de ereção

A disfunção erétil é uma condição muito comum e todos os estudos mostram que a sua incidência aumenta com a idade, embora os homens mais jovens também possam sofrer com isso. 

Além do fator da idade, as causas mais comuns de problemas de ereção são:

  • má saúde em geral;
  • diabetes;
  • doenças cardiovasculares (hipertensão arterial, aterosclerose, etc.);
  • hiperplasia prostática benigna: ela causa indiretamente a disfunção erétil por provocar eventualmente sintomas no sistema urinário;
  • problemas psicológicos ou psiquiátricos;
  • tabagismo;
  • um desequilíbrio ou carência hormonal (andropausa ou outras alterações);
  • efeitos de certos tratamentos, como o tratamento de câncer de próstata;
  • efeitos colaterais de alguma intervenção cirúrgica na região genital;
  • obesidade.

Vários estudos destacaram também a importância da atividade física, do emagrecimento e do baixo consumo de álcool e de tabaco na redução do risco de disfunção erétil.

Problemas de ereção e doenças cardiovasculares [Vídeo]

Então, você sabe a relação entre os problemas de ereção ou mesmo entre a disfunção erétil e as doenças cardiovasculares? Já mostramos no vídeo Como funciona a ereção que o sistema circulatório tem grande influência para se ter uma ereção fraca ou uma ereção forte. Entenda mais sobre o assunto no vídeo acima!

Causas cardiovasculares

Dentre as causas cardiovasculares da disfunção erétil, podemos citar: 

  • doença que atingem as artérias coronárias, como a aterosclerose;
  • todos os fatores de risco de doenças que atingem as artérias coronárias: a hipertensão arterial, a diabetes ou ainda o tabagismo;
  • uma prostatectomia (remoção da glândula prostática) pode danificar as artérias à sua volta, trazendo uma queda na irrigação sanguínea – o que pode levar a uma disfunção erétil; 

Para todas essas causas, damos o nome de disfunção endotelial. Por tanto, é importante que a disfunção erétil seja diagnosticada por um médico, uma vez que é, frequentemente, resultado de outras causas externas.

Um exame cardiológico é geralmente necessário para verificar a saúde vascular de um paciente com disfunção erétil.

Causas neurológicas

A influência dos hormônios e dos neurotransmissores no comando central da ereção é muito importante. Sob o efeito da excitação ou estímulo sexual (que varia de pessoa para pessoa), as áreas específicas do cérebro responsáveis pela sexualidade ficam ativas.

Em seguida, essas áreas do cérebro enviarão um comando nervoso (como um pequeno sinal elétrico) do cérebro através da medula espinal até ao pênis.

Assim, qualquer coisa que possa perturbar o sistema nervoso e neurológico, especialmente as secreções hormonais (dopamina, serotonina, etc.), pode também perturbar a ereção:

  • interações medicamentosas podem interferir no controle neuroquímico do cérebro, principalmente substâncias inibidoras seletivas de recaptação de serotonina (antidepressivos), ou neurolépticos, que podem interferir na neurotransmissão de dopamina;
  • lesão traumática na medula espinhal e também esclerose múltipla;
  • lesões cerebrais: acidentes vasculares ou traumatismos cranianos principalmente;
  • uma resposta do sistema nervoso a um acontecimento traumático na vida pessoal, algumas vezes no âmbito profissional, ansiedade de performance (desempenho), dificuldades dentro do relacionamento, queda na libido ou consequência de uma depressão, etc. 

Causas hormonais

O desequilíbrio hormonal ou a deficiência de testosterona pode afetar diretamente a ocorrência de ereções matinais ou noturnas. Nos homens mais velhos, sobretudo, isso pode trazer consequências sérias, como a disfunção erétil.

Isso acontece porque, aparentemente, as ereções matinais ou noturnas desempenham um papel importante para a boa saúde dos tecidos do pênis: sem elas, essa estrutura apresenta uma deterioração maior.

No entanto, a ligação entre a falta de testosterona e a disfunção erétil ainda não é clara, especialmente nos homens mais velhos cuja deficiência de testosterona não causa necessariamente problemas de ereção.

Hábitos saudáveis influenciam a ereção? [Vídeo]

Afinal, que você já sabe hábitos saudáveis, como boa alimentação e prática de esportes, ajudam em questões como melhorar a ereção, né? Mas muitos ainda precisam entender a relação entre álcool e problemas de ereção e entre drogas e impotência masculina. Nesse vídeo, o médico João Brunhara fala sobre tudo isso.

Como aumentar a circulação sanguínea no pênis naturalmente?

Como mencionado acima, os hábitos do dia a dia têm uma influência direta sobre a sexualidade, a libido e, portanto, sobre a qualidade das ereções. Entre as ações simples que promovem uma boa ereção, podemos te dar algumas dicas… Por exemplo:

  • adotar uma alimentação com pouco sal, gordura ou açúcar; 
  • praticar alguma atividade física ou esportiva regularmente;
  • perder peso;
  • ter uma boa qualidade de sono, permitindo assim o regulamento dos hormônios no nosso cérebro;
  • evitar fontes de estresse ou ansiedade; caso tenha dificuldade, procure apoio psicológico;
  • parar ou diminuir o consumo de cigarro e/ou álcool;
  • estimular naturalmente as secreções de testosterona, praticando tudo o que dissemos acima, mas também se mantendo afastado de ambientes com alta poluição e desreguladores endócrinos presentes no ambiente das grandes cidades; 

Essas práticas simples são suficientes para melhorar a saúde geral e, do mesmo modo, a qualidade das ereções. Se após 3 meses ainda sentir que a sua ereção não é satisfatória, procure a ajuda de um médico urologista (pode ser online!).

Tratamentos não medicamentosos

Em caso de disfunção erétil persistente, apesar de um estilo de vida saudável, é essencial um diagnóstico médico para identificar as causas (fisiológicas, naturais, psicológicas, vasculares, neurológicas, etc.). 

Dependendo da causa, podem ser implementados tratamentos não medicamentosos, como terapia – por exemplo, quando o casal está passando por conflitos, problemas no relacionamento ou outras dificuldades que afetam o psicológico.

Certamente também é possível realizar uma terapia individual.

Temos, então, diversas opções no âmbito da psicologia:

  • a terapia de casal;
  • terapia cognitivo-comportamental;
  • reeducação sexual (terapia sexual orientada para os conhecimentos do paciente em relação à sexualidade).

Os principais objetivos desses tratamentos são:

  • reduzir ou eliminar a ansiedade de performance (desempenho sexual);
  • compreender o contexto em torno da própria sexualidade – o paciente estando ou não em um relacionamento;
  • modificar a resposta sexual;
  • identificar bloqueios ou resistências.

Alguns medicamentos ou tratamentos podem também interferir na resposta sexual do corpo e na ereção. Nesse caso, então é possível conversar com o médico para alterar a dosagem ou o tipo de medicação.

Tratamentos farmacológicos para aumentar a circulação sanguínea no pênis

Esses são os tratamentos de primeira ordem para a disfunção erétil: tratamentos orais e tratamentos locais (injeções intracavernosas).

Para todos esses medicamentos é recomendável uma prescrição médica.

Tratamentos orais

Esses tratamentos pertencem a uma classe de medicamentos chamados inibidores da fosfodiesterase tipo 5 (iPDE5). Todos eles vêm na forma de comprimidos e podem ser tomados apenas quando necessário ou diariamente. 

Os IPDE5s têm o efeito de facilitar a ereção sob qualquer estímulo sexual. Assim, sem excitação, a medicação não provocará uma ereção instantânea.

Os medicamentos mais comuns são:

  • O Viagra (ou sildenafila);
  • O Cialis (ou tadalafila).

Tratamentos locais: injeções intracavernosas ou uretrais

Indicamos esses remédios somente quando outros tratamentos (não medicamentosos ou os iPDE5) não funcionaram. Ao contrário dos iPDE5, que facilitam a ereção, essas injeções vão provocar a ereção mecanicamente: a estimulação sexual não é, assim, essencial para o seu efeito. 

Esse tipo de tratamento inclui: 

  1. Injeções intracavernosas (Alprostadil) ou
  2. Injeções intrauretrais

Os medicamentos para ereção são perigosos? [Vídeo]

Você já conhece os remédios para disfunção erétil, mas sabe se eles apresentam algum risco? Quais os efeitos colaterais da tadalafila ou do viagra, além de suas contraindicações? Então, venha entender um pouco mais e saiba quando você deve ou não tomar medicamentos para um problema de ereção!

Bomba a vácuo, implante peniano, prótese…

A “bomba peniana” (ou bomba de vácuo) é um dispositivo mecânico que inclui um cilindro a ser colocado no pênis até a zona púbica. Dessa forma, com a ajuda da bomba (manual ou elétrica), o paciente poderá obter uma ereção provocando uma despressurização de ar no interior do cilindro.

Uma vez alcançada a ereção, o cilindro deve ser removido e um anel peniano pode ser colocado na base do pênis para bloquear o fluxo sanguíneo. A ereção pode permanecer durante 20 a 30 minutos antes de remover o anel do pênis.

Esse dispositivo é eficaz, mas requer uma certa experiência e pode ser desconfortável. 

Aplicação de um implante peniano ou de uma prótese

É a última abordagem, quando nada mais funcionou. Existem vários modelos de próteses penianas ou implantes: semirrígidos, maleáveis ou infláveis.

Essa opção de tratamento é irreversível – porém a prótese peniana não é para aumentar a circulação sanguínea do pênis, mas para substituir a ereção quando todos os outros tratamentos falharam.

Apesar da sua eficácia, é impossível recuperar a mesma ereção de antes da disfunção acometer o paciente; além disso, a prótese também não permite a ereção da glande. Apenas para você ter uma ideia: nos EUA, acontecem mais de 30 mil cirurgias de prótese peniana por ano! Apesar de não termos os dados referentes ao Brasil, estima-se que os números aqui também sejam altos e estejam aumentando com o passar do tempo.

Como aumentar a circulação sanguínea no pênis: conclusão

O seu corpo é seu aliado! Cuide dele e ele te fará bem.

Ofereça ao seu organismo uma dieta saudável, faça atividades físicas com regularidade, deixe-o descansar… Assim, ele te dará em troca não só uma boa ereção, mas também uma boa saúde no geral.

Nunca é tarde demais para começar.


Mais leituras

Consulte online um médico ou psicólogo especializado em sexualidade

A Omens é uma plataforma de saúde dedicada à saúde sexual e mental, que reúne médicos urologistas, terapeutas sexuais e farmacêuticos com o objetivo de construir soluções seguras, de qualidade e acessíveis a todos.

Por isso, a plataforma permite que você consulte online médicos especialistas em temas sobre sexualidade, além de psicólogos sexólogos. As consultas online podem ser feitas por mensagens, pelo celular ou por videochamada, por exemplo, além de apresentar muitas outras vantagens:

  • Consulte um médico ou psicólogo especializado na área, que trata diariamente de problemas relacionados ao sexo.
  • Pague menos da metade do valor de uma consulta presencial com um urologista.
  • Agende uma consulta para o mesmo dia! (no Brasil, aliás, muitos pacientes têm de esperar vários meses até conseguir agendar uma consulta presencial com um urologista)
  • Peça pela plataforma os medicamentos necessários para o seu tratamento e, então, eles serão entregues discretamente na sua casa por uma farmácia certificada
  • Além disso, evite o desconforto ou a vergonha na sala de espera de um consultório ou em farmácias

10 comentário(s) sobre “Como aumentar a circulação sanguínea no pênis?

  1. Kauã says:

    Ola sou kauã,eu tive a 3 dias atrás e ainda continuo tendo dificuldade pra me controlar na ansiedade na hora h
    Minha esposa ficou muito brava e isso só faz aumentar minha preocupação,pois ela diz que não consigo,e eu to em um ciclo vicioso de me lembrar disso tudo na hora h

    • Dr. João Brunhara says:

      João, fazendo um uso controlado do viagra, como prescrito pelo médico, normalmente não há risco de qualquer alteração maléfica para a ereção. O medicamento apenas aumenta o fluxo sanguíneo no pênis e o membro fica duro com mais facilidade.

  2. Conceição Maria de Jesus Villar dos santos. says:

    Meu namorado tem 63 anos está com dificuldade de ereção há mais ou menos 1 mês.

    • Dr. João Brunhara says:

      Olá, Conceição. É possível que, no caso do seu namorado, sejam fatores orgânicos (relacionados a uma alteração no sistema devido à idade) que estejam provocando a dificuldade. Nesse caso, geralmente se trata o problema com certa facilidade. Ele já procurou um médico urologista? Fala para ele da possibilidade de consultar um especialista online mesmo, pelo celular ou computador. Ele pode agendar um atendimento clicando aqui – os preços variam na faixa dos R$ 79.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *