Omenscast #11: Tudo sobre libido

Omenscast, o minicast da sua saúde sexual: o assunto de hoje é Libido!
BLOG OMENS / Sexualidade
Escrito por

Caio Vega

Revisado por

Dr. João Brunhara

CRMSP 161.642
Última atualização

10 de outubro 2021

No nosso 11º episódio do Omenscast, o médico urologista João Brunhara vai explicar todos os detalhes sobre a libido, tanto masculina como feminina: quais os problemas que podem afetá-la, quais as causas e possíveis tratamentos.

Seja bem-vindo ao blog da Omens e fique à vontade para ouvir o nosso podcast! A transcrição do áudio também está logo abaixo.

Se você chegou aqui você tem interesse em saber o que é libido, essa palavra que está sempre falada na mídia quando falamos de sexualidade.

E, então, o que significa libido? Quais são os fatores que influenciam a libido de pessoa para pessoa e em momentos diferentes? O que fazer para despertar a libido?

Eu sou João Brunhara, médico urologista, e esse é o podcast da Omens sobre saúde sexual masculina.

O termo libido geralmente quer dizer  “desejo sexual”. E isso inclui, sim, o desejo de praticar atos sexuais, mas também envolve pensamentos mais abstratos, como ter fantasias ou simplesmente ter pensamentos sexuais, sem planejar concretamente ter uma relação.

O desejo sexual varia muito de pessoa para pessoa e também pode variar na mesma pessoa, em momentos diferentes. E os mecanismos que influenciam esse desejo envolvem fatores biológicos, mas também psicológicos.

O que é uma “libido normal”?

Muitas pessoas se preocupam em saber se têm uma libido normal, pois consideram que têm um desejo desigual em relação às suas parceiras ou parceiros, seus amigos, e em relação a uma expectativa imaginária. Mas a verdade é que as pessoas podem ser diferentes em tudo – em personalidade, temperamento, peso, altura, gostos, enfim… Todos temos particularidades. E na libido não seria diferente.

Por exemplo, é muito comum encontrar um casal em que o homem tem muito mais desejo de sexo do que a mulher. De fato, alguns estudos já mostraram que homens pensam em sexo mais de 30 vezes por semana, enquanto mulheres pesam em média menos de 10 vezes. Mas isso não quer dizer que as mulheres desejem necessariamente ter menos relações, já que outros estudos apontam que a grande maioria de homens e mulheres ficariam satisfeitos tendo atividades sexuais algumas vezes por semana.

Outra coisa que é demonstrada é que a excitação de homens e mulheres é iniciada por fatores muito diferentes: enquanto a libido masculina é muito movida por estímulos visuais, a libido feminina recebe influências maiores de estímulos táteis, sonoros e outros fatores psicoafetivos.

Da mesma forma, a libido varia muito entre diferentes homens ou entre diferentes mulheres. E mesmo que a grande maioria se contente com uma frequência média de relação algumas vezes por semana, existe uma minoria de pessoas que desejam fazer sexo todos os dias, ou também aqueles que desejam uma frequência de uma vez por mês ou até menos. E existem os indivíduos assexuais, que simplesmente não desenvolvem desejos sexuais ao longo da vida – as estimativas apontam que 1 pessoa a cada 100 possui essa característica.

Fatores que influenciam

Mas ainda assim, uma mesma pessoa pode ter grandes oscilações do desejo sexual em momentos diferentes da vida, ora com uma baixa da libido, e depois com um aumento da libido. E o que causa essa oscilação? É normal não sentir mais vontade de ter relação?

A resposta é sim, é perfeitamente normal não ter desejo em algumas situações, principalmente quando passamos por algum período maior de estresse, cansaço ou tristeza.

Por exemplo, é muito comum depois de um término de relacionamento, uma pessoa ficar por algumas semanas sem querer ter relações. Ou uma outra situação corriqueira: em uma semana muito tensa ou atarefada no trabalho, poucas pessoas conseguem desfrutar de uma vida sexual normal. Porém, se essa falta de excitação passa a acontecer de forma permanente, e não apenas passageira, e traz sofrimento à pessoa, é necessário investigar o que está originando o problema.

Entre as causas da perda de libido, podemos citar com certeza:

  • os distúrbios de ansiedade
  • a depressão
  • abuso de álcool ou outras drogas
  • a presença de doenças crônicas
  • deficiências hormonais
  • uso de remédios como antidepressivos,
  • etc.

Essas causas podem ser comuns em ambos os sexos, mas as mulheres ainda passam por períodos mais complicados: ciclo menstrual, lactação, menopausa, etc. Já nos homens, após os 50 anos de idade, começa a ficar mais comum a deficiência de testosterona.

E vale lembrar que hoje em dia tem sido cada vez mais frequente a ocorrência de vício em pornografia e masturbação, que são possíveis fatores que minam o desejo de relações com pessoas reais. Se você tem dúvidas sobre esse tema, saiba que nós ainda iremos fazer um podcast sobre vício em pornografia, então não perca!

Como resolver o problema

Ok, mas então, como fazer para recuperar o desejo sexual? Qual remédio pode aumentar o desejo?

Primeiro de tudo é importante descobrir as causas, realizando exames de sangue hormonais, que irão procurar alterações da tireóide e da testosterona. Se algum desses resultados vier alterado, deve ser feita uma reposição, mas, do contrário, não devemos dar testosterona para quem já tem níveis dentro da normalidade.

Além disso, investigamos causas psicológicas como estresse, ansiedade e depressão e muitas vezes indicamos psicoterapia como um auxílio para ajudar a lidar com essas questões. 

Também pesquisamos fatores comportamentais, como ganho de peso, falta de sono ou excesso de álcool. Nesses casos, recomendamos mudanças de estilo de vida que favorecem a libido, como dormir boas noites de sono, fazer atividade física, ter uma dieta balanceada e tomar um pouco de sol.

Existem crenças populares que estimulam o uso de alimentos que aumentam a libido, como supostamente ostras, amendoim ou banana. Porém devemos lembrar que esses efeitos via de regra não são comprovados.

Remédios para a libido

Muitos pacientes pedem um remédio para libido, mas nesses casos devemos informar que não existem medicamentos farmacológicos para aumentar a libido – exceto, claro, quando estamos falando de reposição hormonal em pacientes com falta de hormônios.

Mas existem, sim, alguns fitoterápicos, produtos à base de raízes ou ervas que possuem efeitos de evidência já investigada sobre a libido – em alguns estudos demonstram bons resultados, em outros nem tanto.

Qual é o remédio natural para aumentar o desejo?

Existem alguns, sendo que uns dos mais estudados são o tribulus terrestris, o ginseng coreano e a maca peruana. Seu uso deve ser indicado por um profissional que conheça seu caso e entenda os efeitos de cada substância.

Como você viu, a libido é complexa e depende da conjugação de vários fatores e estratégias ao mesmo tempo.

Se você tiver problemas de libido, se consulte com um urologista e não tome medicações por conta própria. Com o tratamento certo, você terá ótimas chances de melhorar seu problema. Se você ainda tiver comentários ou dúvidas, continue essa conversa na nossa página no Youtube ou no nosso blog!

O atendimento personalizado de um urologista pode te ajudar!

Teleconsultas (por chat, vídeo ou celular) com médicos especialistas em saúde sexual masculina: a partir de R$ 69.

Prescrição médica e entrega a domicílio de medicamentos e tratamentos manipulados.

Agendar Teleconsulta

e receber tratamento médico!


Outras leituras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *