Libido baixa: causas e tratamentos

cachorrinho preto deitado em meio as cobertas encolhido
BLOG OMENS / Sexualidade
logo da Omens
Escrito por

Caio Vega

Revisado por

Dr. João Brunhara

CRMSP 161.642
Última atualização

15 de janeiro 2022

A “libido baixa” se refere a uma redução no desejo (vulgo “tesão”) que pode interferir na atividade sexual da pessoa. Embora essa alteração possa causar tensão em um relacionamento, às vezes gerando dúvida e culpa nos parceiros, é algo que muitas vezes pode ser tratado se a causa principal for identificada.

Porém, não se deve confundir baixa libido com disfunção erétil, embora as duas condições possam coexistir. É importante ser honesto e haver uma comunicação clara entre o casal enquanto se identificam as possíveis causas com a ajuda de um profissional da saúde. Os tratamentos podem variar, podendo envolver psicoterapia, reposição hormonal, mudanças no estilo de vida ou o reajuste de medicamentos.

Às vezes um único fator provoca uma libido baixa; às vezes são múltiplos fatores que contribuem cada um à sua própria maneira para o quadro do paciente. Vamos, então, abordar as causas mais comuns:

Baixa libido masculina ligada a uma baixa testosterona

A testosterona é um hormônio sexual importante para os homens, visto que é responsável por características como pelos faciais e músculos do corpo. Além disso, o hormônio também ajuda a manter o desejo sexual e a produção de esperma.

Os níveis de testosterona atingem seu pico durante a adolescência e no início da vida adulta e caem à medida que envelhecemos – cerca de 1% a 2% ao ano, a partir dos 30 anos. Assim, se os níveis caem abaixo de um certo ponto, pode-se provocar hipogonadismo (baixa testosterona).

A Associação Americana de Urologia (AUA) define a testosterona como sendo baixa quando há menos de 300 nanogramas (ng) do hormônio por decilitro (dl) de sangue.

Ao contrário da crença popular, baixos níveis de testosterona raramente levam à disfunção erétil, mas podem interferir no sexo de outras formas. Alguns homens percebem uma queda na libido enquanto outros perdem completamente o interesse pelo sexo. Além disso, os sintomas podem incluir:

  • Perda de pelos no corpo e no rosto
  • Depressão
  • Fadiga
  • Redução do tônus muscular

O tratamento mais comum para a baixa testosterona é a terapia de reposição de testosterona (TRT). Embora eficaz, a TRT pode vir com riscos potenciais, sendo alguns deles: acne, coágulos sanguíneos, aumento da próstata e piora da apneia do sono. Além disso, a TRT pode colocar homens mais velhos em um risco maior de problemas cardíacos.

Caso você suspeite que os seus níveis de testosterona estejam baixos, então é necessário conversar com um médico.

Efeitos colaterais de medicamentos que baixam a libido

Certos medicamentos podem causar libido baixa nos homens, por exemplo:

  • antiepiléticos
  • antidepressivos
  • antipsicóticos
  • betabloqueadores
  • benzodiazepinas
  • estatinas

Mesmo remédios que não requerem receita médica, como Tagamet (cimetidina) podem causar problemas se tomados por longos períodos de tempo.

Interromper ou mudar a medicação pode reverter a condição, embora isso nem sempre seja possível com certos medicamentos crônicos. Ajustar a dose também pode ajudar. Mas, como sempre, não altere o remédio ou a dosagem sem antes falar com seu médico!

O atendimento personalizado de um urologista pode te ajudar!

Teleconsultas (por chat, vídeo ou celular) com médicos especialistas em saúde sexual masculina: a partir de R$ 69.

Prescrição médica e entrega a domicílio de medicamentos e tratamentos manipulados.

Agendar Teleconsulta

e receber tratamento médico!

Libido baixa e depressão

Depressão e libido baixa podem andar de mãos dadas: a depressão pode não só provocar um desejo sexual menor, mas também pode ser a consequência, piorando uma situação já complicada. Além disso, apesar de os antidepressivos efetivamente tratarem a depressão, eles podem agravar os problemas de libido.

Se atualmente você está fazendo uso de algum antidepressivo e sentindo uma falta de desejo sexual, talvez seja bom falar com seu médico sobre diminuir a sua dose – basta ter em mente que pode levar um tempo para que esse efeito colateral desapareça.

Doenças crônicas

Os altos níveis de dor e fadiga causados por doenças crônicas também podem impactar a libido. Isso é principalmente verdade para as seguintes condições crônicas:

  • Artrite
  • Câncer
  • Síndrome da fadiga crônica
  • Diabetes
  • Fibromialgia
  • Doenças cardíacas
  • Insuficiência renal

Quando falamos em doenças crônicas e baixa libido, raramente há uma conexão clara entre causa e tratamento. Isso porque: por um lado, a condição crônica pode aumentar o risco de depressão; por outro, ela pode interferir diretamente nas funções hormonais, neurológicas ou vasculares, importantes para o apetite sexual masculino.

Além disso, os medicamentos usados para tratar essas doenças (tais como quimioterapia ou remédios para o coração) podem prejudicar diretamente a libido. Assim, pode ser difícil identificar a causa da libido baixa e encontrar uma solução. Em alguns casos, vários médicos podem ser necessários.

Estresse e alterações do sono

Em primeiro lugar, o estresse desencadeia a produção de cortisol, um hormônio que funciona como um sistema de alarme do corpo. Desse modo, o cortisol não só causa a contração dos vasos sanguíneos, contribuindo para a disfunção erétil, mas também pode causar uma queda abrupta nos níveis de testosterona.

Em segundo lugar, o estresse também pode ter relação com insônias e outras alterações do sono – o que pode aumentar o cansaço, deixando a pessoa menos interessada em sexo.

Os tratamentos dependem da alteração do sono e podem envolver terapias e métodos de controle do estresse, além de pressão aérea positiva para tratar a apneia do sono.

Se o estresse estiver associado a um distúrbio de ansiedade, podem ser necessários medicamentos. Mas tenha cautela: alguns remédios ansiolíticos (contra ansiedade) podem diminuir ainda mais a libido.

Uma pesquisa da Omens em parceria com a Datafolha também evidenciou que a última pandemia afetou a saúde mental e a sexualidade dos brasileiros:

45%

dos brasileiros estão fazendo menos sexo durante a pandemia

36%

também passaram a se masturbar menos após os surtos de Covid-19

NOVO

Libido baixa na relação? O parceiro não sente o mesmo desejo de antes?

Encontre uma solução online conversando com um psicólogo especializado em sexualidade.

Teleconsulte por vídeo ou celular o terapeuta sexual da sua escolha e consiga a ajuda necessária para a sua relação!

Agendar Teleconsulta

e receber ajuda agora!

Estilo de vida também influencia a libido

Há fatores relacionados ao estilo de vida da pessoa leva que podem contribuir significativamente para a baixa libido do homem. Logo, a solução pode ser mudar ou parar o comportamento. Por exemplo:

O uso de álcool e drogas: o consumo excessivo ou frequente de álcool pode resultar na redução dos níveis de testosterona.

Pouco exercício ou exercício em excesso: atividades físicas frequentes e de alta intensidade podem estar associadas a uma libido mais baixa; muito pouco exercício também pode levar a uma queda na libido.

Obesidade: o sobrepeso prejudica diretamente o metabolismo e a função hormonal, resultando em uma redução significativa da testosterona total e livre.

Tabagismo: o cigarro aumenta diretamente o risco de disfunção erétil e prejudica indiretamente a excitação sexual.

Libido baixa: e as mulheres?

Boa parte das causas que citamos acima vale também para as mulheres. Portanto, a baixa libido delas também podem vir de doenças crônicas e outras condições de saúde, uso de certos medicamentos, estilo de vida, ansiedade, depressão, estresse, etc.

Porém, existem algumas causas hormonais e psicológicas que tendem a ocorrer mais entre as mulheres, ou por diferenças do corpo feminino, ou por questões sociais. Vejamos alguns exemplos:

Possíveis causas da baixa libido feminina

O desejo por sexo (tanto masculino como feminino) se baseia em uma complexa interação de variados fatores, incluindo o bem-estar físico e emocional, experiências passadas, crenças, estilo de vida e relacionamento. Veja alguns exemplos:

Causas físicas/hormonais

Além das questões que abordamos no início do texto, é possível encontrar outras causas para a baixa libido feminina:

  • Problemas sexuais: se a pessoa sente dor durante o sexo ou não consegue chegar ao orgasmo, isso pode reduzir sua libido.
  • Fadiga: o cansaço de cuidar de crianças, fazer tarefas domésticas e trabalhar fora em uma sociedade primordialmente patriarcal pode contribuir para um baixo desejo sexual; a fadiga por doença ou cirurgia, como já falamos, também pode diminuir a libido.

Alterações nos níveis hormonais da mulher podem alterar o apetite sexual da mesma forma. Isso pode ocorrer, por exemplo:

  • Menopausa: os níveis de estrogênio caem durante a chegada da menopausa, podendo fazer a mulher perder o interesse pelo sexo e secando os tecidos vaginais – o que pode resultar em um sexo doloroso ou desconfortável. Embora muitas mulheres ainda sintam prazer durante e depois da menopausa, algumas sentem uma libido mais baixa durante esse período de alteração hormonal.
  • Gravidez e amamentação: as mudanças hormonais durante a gravidez, logo após de se ter um bebê e durante a amamentação podem reduzir o desejo sexual.

Causas psicológicas bastante encontradas em mulheres

A saúde mental também afeta a libido. Temos fatores como, por exemplo:

  • Visão alterada do próprio corpo
  • Baixa autoestima
  • Histórico de abuso físico ou sexual
  • Experiências sexuais anteriores negativas
  • Problemas no relacionamento
  • Falta de conexão com o parceiro ou parceira
  • Conflitos não resolvidos
  • Falta de comunicação sobre necessidades e preferências sexuais
  • Problemas de confiança
NOVO

Libido baixa na relação? O parceiro não sente o mesmo desejo de antes?

Encontre uma solução online conversando com um psicólogo especializado em sexualidade.

Teleconsulte por vídeo ou celular o terapeuta sexual da sua escolha e consiga a ajuda necessária para a sua relação!

Agendar Teleconsulta

e receber ajuda agora!

Conclusão

A baixa libido pode ser causada por uma variedade de fatores físicos, emocionais ou psicológicos. Se a libido baixa está afetando seu relacionamento, evite se culpar ou responsabilizar o seu parceiro ou parceira. Em vez disso, tenha uma conversa aberta e honesta com ele ou ela sobre como você está se sentindo.

Se você está preocupado com uma libido baixa, fale com um médico ou converse com um terapeuta sexual online. A solução pode ser tão simples quanto mudar um medicamento ou conversar abertamente sobre alguma preocupação.


Referências

Consulte online um médico ou psicólogo especializado em sexualidade

A Omens é uma plataforma de saúde dedicada à saúde sexual e mental, que reúne médicos urologistas, terapeutas sexuais e farmacêuticos com o objetivo de construir soluções seguras, de qualidade e acessíveis a todos.

Por isso, a plataforma permite que você consulte online médicos especialistas em temas sobre sexualidade, além de psicólogos sexólogos. As consultas online podem ser feitas por mensagens, pelo celular ou por videochamada, por exemplo, além de apresentar muitas outras vantagens:

  • Consulte um médico ou psicólogo especializado na área, que trata diariamente de problemas relacionados ao sexo.
  • Pague menos da metade do valor de uma consulta presencial com um urologista.
  • Agende uma consulta para o mesmo dia! (no Brasil, aliás, muitos pacientes têm de esperar vários meses até conseguir agendar uma consulta presencial com um urologista)
  • Peça pela plataforma os medicamentos necessários para o seu tratamento e, então, eles serão entregues discretamente na sua casa por uma farmácia certificada
  • Além disso, evite o desconforto ou a vergonha na sala de espera de um consultório ou em farmácias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *