Baixa testosterona: o papel do hormônio na sexualidade masculina

A queda no hormônio masculino provoca alteração no humor e baixa resistência
BLOG OMENS / Sexualidade
Escrito por

Caio Vega

Revisado por

Dr. João Brunhara

CRMSP 161.642
Última atualização

6 de julho 2021

A andropausa (ou, para ser mais rigoroso, a Deficiência Androgênica do Envelhecimento Masculino: saiba a diferença aqui), por exemplo, se caracteriza pela falta de testosterona e por sintomas que podem afetar a vida sexual, o sono e o humor. Mas qual é exatamente o papel da testosterona no corpo dos homens? Será que o principal hormônio masculino tem outras funções? Como detectar um desequilíbrio hormonal?

Qual a função da testosterona, quais as causas de uma deficiência hormonal e quais os tratamentos para a andropausa: tudo que você precisa saber aqui no blog da Omens…

Qual é o papel da testosterona? O principal hormônio masculino!

A testosterona é o principal hormônio sexual dos homens! 

“sem ela, a vida sexual de um homem não seria possível, seja em termos de libido, de ereção ou de ejaculação.”

— Dr. João Brunhara

Além disso, ela também determina o desenvolvimento dos órgãos sexuais masculinos durante a puberdade e permite tanto a manutenção das funções sexuais nos homens como a reprodução. 

Mas isso não é tudo! 

A testosterona tem um efeito direto no metabolismo das proteínas, ácidos graxos e carboidratos. Por consequência, influencia a massa muscular e a sua manutenção, bem como a distribuição da massa óssea, gordura e sensibilidade à glicose. 

Juntamente com outros andrógenos (hormônios masculinos), também influencia as funções cognitivas e o comportamento.

Tudo sobre testosterona baixa [Omenscast #8]

No oitavo episódio do Omenscast, o médico urologista João Brunhara abordará um problema bastante comum que é a testosterona baixa. Ele apresentará as possíveis causas, tratamentos e falará sobre alguns mitos e verdades em torno do assunto. A transcrição do áudio você poderá encontrar aqui.

Como é produzida a testosterona?

Antes de mais nada, lembre-se que esta parte é bastante técnica, com alguns termos complexos. Então, se não for do seu interesse, basta pular para a próxima sessão, onde falamos sobre as possíveis causas de uma deficiência hormonal. Mas, se você deseja entender o assunto… Vamos lá:

A testosterona é produzida pelas células de Leydig, que são controladas pelo hipotálamo e pela glândula pituitária (hipófise) no cérebro. 

O hipotálamo e a hipófise estão envolvidos na secreção de muitos hormônios: o hormônio masculino liberador de gonadotrofinas (GnRH) pelo hipotálamo desencadeia a secreção de LH e FSH pela hipófise. O FSH desempenha um papel na espermatogênese, enquanto que o LH (localizado nas células de Leydig) estimula a produção de testosterona.

Assim que ela estiver no soro sanguíneo (um líquido livre de células e proteínas coagulantes), a testosterona mistura-se com SHBG (globulina ligadora de hormônios sexuais) e albumina (proteínas), produzida pelo fígado. 

Resta uma parte da testosterona não ligada a essas moléculas: a chamada testosterona livre (1 ou 2% da testosterona total). 

O que é testosterona biodisponível?

A testosterona biodisponível é a testosterona ligada à albumina + a testosterona livre, ou seja, é a soma dessas duas partes.

Nos órgãos sexuais, próstata e folículos pilosos, a testosterona se transforma em diidrotestosterona, que tem uma afinidade maior aos receptores de hormônios.

Por fim, vale lembrar que os níveis de testosterona oscilam durante o dia, com um pico de testosterona pela manhã, por volta das 7 horas.

O atendimento personalizado de um urologista pode te ajudar!

Teleconsultas (por chat, vídeo ou celular) com médicos especialistas em saúde sexual masculina: a partir de R$ 69.

Prescrição médica e entrega a domicílio de medicamentos e tratamentos manipulados.

Agendar Teleconsulta

e receber tratamento médico!

O que causa uma deficiência hormonal ou a baixa testosterona?

Frequentemente pode ser uma andropausa (Deficiência Androgênica do Envelhecimento Masculino), mas uma deficiência de testosterona (hipogonadismo) pode ter várias outras causas:

  • Síndrome de Klinefelter: uma anomalia genética rara que afeta um homem entre 500-1000. Ela é caracterizada pela presença de um cromossomo sexual X a mais. Isso pode atrasar a puberdade e influenciar o tamanho do pênis e dos testículos. Aliás, alguns homens descobrem essa síndrome após terem tido dificuldades em relação à própria fertilidade. Essa condição é conhecida como hipogonadismo congênito.
  • Hipogonadismo adquirido: uma deficiência de testosterona relacionada principalmente a uma causa secundária (como, por exemplo, problemas nos testículos). Por exemplo, a radiação ou quimioterapia nos testículos pode causar deficiência de testosterona devido à toxicidade das células testiculares envolvidas na produção do hormônio.
  • Um problema com a produção de FSH e LH em relação à parte anterior da glândula pituitária.
  • Um adenoma na glândula pituitária que leva a um desequilíbrio hormonal (nesse caso não é um problema primário da testosterona, mas sim de outros hormônios sexuais).
  • Alguns tratamentos medicamentosos, em particular a terapia hormonal para o câncer de próstata.
  • O envelhecimento natural pode causar uma queda na testosterona – o que chamam popularmente de andropausa, embora os médicos prefiram o termo Deficiência Androgênica do Envelhecimento Masculino (DAEM).

Queda da testosterona, andropausa e ereção [Vídeo]

O envelhecimento humano traz várias mudanças. Para o homem, uma das mais citadas é a andropausa: mas ela existe mesmo? O que é e quais são os sintomas da andropausa? E os outros fatores relacionados ao envelhecimento, como uma testosterona baixa e problemas de ereção (disfunção erétil)?

O Dr. João Brunhara explica melhor nesse vídeo algumas dessas questões para se ter um envelhecimento saudável.

Quais são os sintomas da deficiência de testosterona?

Se essa baixa na testosterona ocorrer na adolescência, os sintomas serão:

  • menor desenvolvimento de pelos;
  • pênis e testículos menores;
  • diminuição da massa muscular;
  • sem alterações na voz;
  • crescimento comprometido.

Em adultos, a falta de testosterona é caracterizada por:

  • falta de concentração e alterações de humor;
  • diminuição da resistência e da força muscular;
  • aumento de peso (gordura corporal);
  • problemas sexuais: redução da libido, disfunção erétil…
  • redução no crescimento do cabelo;
  • desenvolvimento de seios;
  • ossos frágeis (osteoporose);
  • ondas de calor.

Em um homem saudável, a produção de testosterona atinge picos na adolescência e depois cai cerca de 1% por ano após os 30 anos de idade. 

Níveis de testosterona: como saber como está a produção do hormônio masculino?

Na presença dos sintomas acima mencionados, é necessário um exame médico. Um médico será capaz de destacar mudanças na aparência geral do homem, como por exemplo:

  • diminuição da massa muscular; 
  • excesso de gordura abdominal;
  • mudança na qualidade da pele; 
  • ou um aumento do volume do peito.

Esse exame levará também em conta a idade do paciente. Além disso, é normal que o médico realize um exame local (nos testículos, no pênis e na próstata). 

Em seguida, será colhida uma amostra de sangue para analisar o nível de testosterona. Uma avaliação hormonal em maior escala revelará se existe ou não um desequilíbrio hormonal.

Essa amostra é colhida de manhã, quando os níveis de testosterona são normalmente mais elevados nos homens.

Tem como aumentar naturalmente a testosterona e a libido? [Vídeo]

A testosterona é o principal hormônio masculino, responsável pelo funcionamento de muitas partes do corpo do homem, inclusive a libido. Mas uma vez ou outra, você pode estar com sua testosterona alta ou mesmo com a testosterona baixa. Quando a testosterona está baixa, você sabe quais são os sintomas e como aumentar? O Dr. João Brunhara explica melhor nesse vídeo!

Como aumentar a testosterona naturalmente?

Como você pode ver no vídeo acima, é possível intervir com estratégias naturais para estimular as secreções de testosterona. Os médicos recomendam antes de mais nada a prática regular de esportes ou atividades física. 

Certamente praticar esportes ajuda na secreção de testosterona e, sobretudo, ajuda a reduzir os sintomas da deficiência do hormônio masculino. Além disso, pode evitar o excesso de peso, principalmente a gordura abdominal, que tem a tendência de eliminar a testosterona. 

Sabemos também que a luz solar tem um impacto direto nas secreções hormonais, incluindo a testosterona. Não só o sol é bom para os seus ossos e para o seu humor em geral, como também está comprovado que ele é um ótimo estimulante da produção de testosterona.

Para quem pode fazer isso, também é útil se afastar das grandes cidades, das toxinas da poluição ou dos desreguladores endócrinos, aproveitando as zonas rurais ou o litoral. 

Uma boa qualidade de sono também é fundamental: é durante o sono, e em particular durante o sono REM, que um certo número de hormônios operam com mais intensidade. Isso também vai ajudar a reduzir o estresse e a ansiedade!

E, por fim, é importante privilegiar uma dieta saudável e equilibrada. Alguns suplementos alimentares e vegetais são conhecidos pelo seu efeito benéfico para as secreções de testosterona. 

Existem medicamentos que podem estimular a produção de testosterona pelos testículos. Um urologista poderá lhe ajudar a indicar um desses remédios se isso se aplicar ao seu caso

Como tratar a deficiência de testosterona?

O tratamento de uma deficiência de testosterona é geralmente baseado na administração de testosterona por via intramuscular, subcutânea ou oral. Essa terapia se chama reposição hormonal.

A escolha do tratamento deve ser considerada por um médico, principalmente porque talvez ainda haja a chance de se aumentar o risco de câncer da próstata com a reposição.

No entanto, esse tratamento traz bons resultados para homens com níveis de testosterona abaixo do valor de referência. E a ideia é trazer esse nível para o patamar de normalidade, e não provocar aumentos de testosterona fora da faixa considerada normal

Assim, geralmente esse tratamento melhora todos os sintomas de deficiência de testosterona, tanto sexual como física.

Se, apesar de tudo, a disfunção erétil persistir, é perfeitamente possível recorrer a um medicamento inibidor de PDE5 como o Viagra ou o Cialis.

O atendimento personalizado de um urologista pode te ajudar!

Teleconsultas (por chat, vídeo ou celular) com médicos especialistas em saúde sexual masculina: a partir de R$ 69.

Prescrição médica e entrega a domicílio de medicamentos e tratamentos manipulados.

Agendar Teleconsulta

e receber tratamento médico!

Testosterona: o que você precisa saber sobre o principal hormônio masculino

Embora seja verdade que a andropausa pode ser um sinal de deficiência de testosterona, é um processo lento e gradual que começa naturalmente com os 30 anos de idade e não afeta todos os homens da mesma forma.

Alguns terão sintomas dessa baixa testosterona, enquanto outros homens não. 

Não é uma menopausa realmente, porque os homens nunca deixam de produzir testosterona, ao contrário das mulheres, que têm uma interrupção completa da produção de estrogênio. 

Na realidade, como vimos acima, é possível promover um aumento nas nossas secreções de testosterona e, assim, reduzir naturalmente os sintomas de uma possível falta hormonal.

Como é frequentemente o caso, um estilo de vida saudável é essencial.

Fontes

Consulte um médico especializado em sexualidade na Omens

A Omens é uma plataforma de saúde dedicada ao homem. Ela reúne médicos urologistas e farmacêuticos com o objetivo de construir soluções seguras, de qualidade e acessíveis a todos.

A plataforma permite que você consulte online médicos especialistas em temas sobre sexualidade. A consulta online pode ser feita por mensagens, pelo celular ou por videochamada, além de apresentar muitas outras vantagens:

  • Consulte um médico especializado na área, que trata diariamente de problemas relacionados ao sexo
  • Pague menos da metade do valor de uma consulta presencial com um urologista
  • Agende uma consulta para o dia seguinte! (no Brasil, muitos pacientes têm de esperar vários meses até conseguir agendar uma consulta presencial sobre problemas sexuais com um urologista)
  • Peça pela plataforma os medicamentos necessários para o seu tratamento e eles serão entregues discretamente na sua casa por uma farmácia certificada
  • Evite o desconforto ou a vergonha na sala de espera de um consultório ou em farmácias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *