Micropênis: definições, causas e soluções

BLOG OMENS / Sexualidade
Escrito por

Caio Vega

Revisado por

Dr. João Brunhara

CRMSP 161.642
Última atualização

16 de fevereiro 2021

O tamanho do pênis ainda é um assunto com vários mitos e crenças falsas. A maioria dos homens que procuram por atendimento médico achando que têm um pênis muito pequeno, na verdade, têm um pênis completamente normal. Por isso, precisamos esclarecer algumas dúvidas: neste artigo, vamos fazer uma rápida visão geral e definir o que é um micropênis.

Micropênis: definição médica

O termo micropênis diz respeito a um pênis pequeno em tamanho, mas que possui forma e estrutura consideradas normais. Além disso, o micropênis também funciona normalmente. 

Na idade adulta, o órgão sexual masculino é considerado um micropênis caso ele meça menos de 9 cm ereto. Em recém-nascidos, falamos em micropênis quando o membro possui menos de 2 cm.

O micropênis é uma condição rara.

Por outro lado, é comum que os homens estejam insatisfeitos com o tamanho do seu pênis. Com frequência, o tamanho médio do pênis é superestimado. Como dissemos, a maioria das consultas referentes ao tamanho do órgão sexual são com pacientes que têm um pênis completamente normal.

Outras características do pênis, como curvatura, etc., podem variar ainda mais entre cada pessoa.

O que causa um micropênis?

Nem sempre identificamos com certeza o que causa um micropênis, mas, na maioria dos casos, a condição está ligada aos hormônios (andrógenos). Muitas vezes, o micropênis é um sinal de insuficiência na secreção hormonal ou na ação da testosterona nas fases cruciais do desenvolvimento.

Pode ser que os níveis de andrógenos estejam muito baixos. A testosterona é o principal hormônio sexual masculino, que também desempenha um papel importante no desenvolvimento dos órgãos sexuais. Uma deficiência na secreção de testosterona pode, então, levar a um atraso no desenvolvimento do pênis.

Além disso, os tecidos do pênis podem estar insensíveis aos andrógenos. Nesse caso, os hormônios masculinos estariam presentes, mas o tecido não os reconhece e, portanto, não se desenvolve normalmente.

O micropênis também pode ser causado por uma anomalia cromossômica. É o caso, por exemplo, da síndrome de Klinefelter, em que se tem dois cromossomos X e um cromossomo Y, em vez de apenas um X e um Y.

Mitos e verdades sobre o tamanho do pênis [Vídeo]

Entenda os mitos sobre o tamanho do pênis. Você realmente tem um pênis pequeno? É melhor ter um pênis grande? Qual o tamanho médio, existe um tamanho ideal do pênis e como medir da melhor forma?

Qual é o tamanho médio de um pênis ereto?

Antes de entrarmos em dados e números, precisamos primeiro esclarecer qual a forma correta de medir o pênis. Isso porque, dependendo do método utilizado, os números podem variar consideravelmente.

O método amplamente aceito pela comunidade médica é o seguinte: a medida é feita a partir da base do pênis no osso do púbis, com uma fita métrica (e não uma régua!) até a ponta do pênis. Isto é: devemos começar na base do pênis, pressionando a fita até o osso púbico.

No Brasil, usando esse método, encontramos o tamanho médio de um pênis ereto de 14,2 a 15,7 cm.

Micropênis: soluções e riscos

Em recém-nascidos, pode-se iniciar um tratamento com testosterona. Na maior parte dos casos, a testosterona faz com que o pênis cresça normalmente.

Mesmo que não se tenha tratado o micropênis na infância, ainda existem tratamentos para a fase adulta, mas com resultados pouco satisfatórios.

Faloplastia: riscos e resultados

A maioria dos pacientes que se submetem à faloplastia não possuem um micropênis. Muitos são homens complexados com o tamanho do seu órgão genital, que estão verdadeiramente incomodados.

Existem duas operações de faloplastia. Uma tem por objetivo aumentar o comprimento do pênis, enquanto a outra visa torná-lo mais grosso.

A cirurgia para aumentar o comprimento consiste na secção (corte) dos ligamentos que fixam a base do pênis ao abdômen. Ganha-se de 1 a 2 cm no pênis flácido, mas o tamanho do órgão ereto permanece o mesmo. Além disso, outra técnica utilizada é a remoção de gordura da região do púbis, o que dá uma impressão de tamanho maior do pênis, com menos gordura para encobri-lo. Porém essa técnica apenas dá uma impressão de tamanho maior e não modifica a estrutura do órgão.

A cirurgia para aumentar o diâmetro consiste na injeção de gordura (ou de outros produtos — há várias possibilidades experimentais!) no pênis. Essa operação pode aumentar a circunferência do pênis em mais ou menos 3 cm.

Como todos os procedimentos cirúrgicos, a faloplastia envolve riscos. Muito raramente, podem ocorrer alterações na sensibilidade, na capacidade de ereção, infecções graves e até o risco de necrose e perda do órgão.

A faloplastia do comprimento do pênis consiste na secção (corte) do ligamento que conecta o pênis ao abdômen. Portanto, após a operação, o pênis tem mais mobilidade e a ereção pode se voltar para baixo, o que pode frustrar o paciente.

Extensor peniano: cuidado com as enganações!

Os extensores penianos são vendidos como métodos para aumentar o comprimento do pênis em 1 a 2 cm quando flácido: eles “esticam” o tecido do membro. A longo prazo, repetir esse processo supostamente torna o pênis um pouco maior.

Mas não há estudos científicos sobre o assunto. Parece que, assim como a cirurgia, os extensores penianos só aumentam o tamanho do pênis flácido. 

 Antes de mais nada, é altamente recomendável consultar um urologista.  

Micropênis: quem consultar

Para concluir, vale lembrar que realmente existem mulheres que preferem pênis maiores, mas há também as que reclamam de pênis muito grandes (que podem incomodar durante a penetração).

Ao mesmo tempo em que há uma questão de preferência pessoal, em muitos casos a questão do ego masculino é maior que o problema sexual. No fim das contas, a maioria dos homens que pensam que têm um pênis muito pequeno, na verdade, têm um pênis de tamanho normal.

Os urologistas são os médicos capazes de atender o paciente com esse tipo de condição.

Consulte um médico especializado em sexologia na Omens

Omens.com.br é uma plataforma de saúde dedicada ao homem. Ela reúne urologistas, sexólogos e farmacêuticos para construir uma solução de qualidade, segura e acessível a todos.

A plataforma permite que você se consulte online com médicos especializados em sexologia. A consulta online pode ser feita por mensagem, telefone ou videochamada, além de apresentar muitas outras vantagens:

  • Consulte um médico especializado em sexualidade, que trata de distúrbios relacionados ao sexo diariamente.
  • Pague menos da metade do valor de uma consulta presencial com um urologista.
  • Agende uma consulta dentro de 24 horas (a espera média para uma consulta com um urologista especializado em sexologia no Brasil é de vários meses).
  • Peça pela internet os medicamentos necessários ao tratamento e eles serão entregues discretamente na sua casa por uma farmácia perto de você.
  • Evite o desconforto na sala de espera de um consultório ou na farmácia.

Fontes

CONSULTAR UM

UROLOGISTA ONLINE

Por que esperar para resolver algo que tem solução?

CONSULTAR UM UROLOGISTA ONLINE

Por que esperar para resolver algo que tem solução?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *