O que é priapismo?

BLOG OMENS / Ereção
Escrito por

Caio Vega

Revisado por

Dr. João Brunhara

CRMSP 161.642
Última atualização

14 de dezembro 2020

Na área da sexualidade, há uma variedade de problemas que podem ser bastante prejudiciais ao homem. Esse é o caso do priapismo: uma condição que devemos tratar rapidamente, já que ela pode trazer sérios problemas sexuais. Para ajudar você a compreender melhor e, sobretudo, combater essa condição, nós explicaremos tudo o que você precisa saber sobre as causas, os sintomas e os tratamentos do priapismo.

Definição de priapismo

O priapismo é, antes de mais nada, uma ereção que não passa, mesmo na ausência de qualquer estímulo sexual. Dessa forma, o pênis se mantém ereto sem nenhum estímulo sexual durante um período superior a 4 horas. Em muitos dos casos, o priapismo cria uma dor muito difícil de se suportar.

Uma das principais características dessa condição é que, embora o homem tenha uma ereção, ele não vai conseguir ejacular, mesmo durante a relação sexual.

É importante tratar essa doença a tempo, a fim de evitar que ela atinja uma fase possivelmente irreversível.

Quais os sintomas do priapismo?

Vale lembrar que o priapismo é, aliás, um problema de ereção bastante fácil de identificar. Isso porque os sintomas da condição normalmente se caracterizam por dois aspectos principais:

  1. uma ereção cuja duração é incomum, isto é, de mais ou menos 4 horas;
  2. ereção involuntária na ausência de qualquer estímulo;

Pode ser priapismo se:

  • Não houver interrupção entre as ereções: quando a duração da relação sexual é exagerada, superando horas, então é necessário procurar um serviço de emergência.
  • As ereções são involuntárias: se você perceber que o seu pênis está endurecendo sem que haja estímulo sexual algum, de forma completamente involuntária, então há o risco de priapismo.
  • As ereções são dolorosas: mas lembre-se que o endurecimento nem sempre vem acompanhado de dor. Mesmo em casos mais graves de priapismo, pode não haver dores físicas.

O priapismo é uma doença?

Sim, como muitas outras condições, o priapismo é uma doença grave, que pode provocar problemas sérios, até irreversíveis, na sexualidade do homem. Aliás, estamos falando de algo delicado, que pode levar a muitos outros problemas se não for tratado de forma rápida e completa.

Complicações

Em alguns casos, a própria doença ou o tratamento do priapismo podem levar a uma disfunção erétil total e permanente. Aliás, a detumescência (quando o pênis volta ao estado flácido) pode ocorrer após a contração da doença — o que irá causar uma impotência definitiva. Os tecidos perdem sua elasticidade e, portanto, não serão mais capazes de se esticar. Essa habilidade é essencial para provocar uma ereção. Assim, a única solução nesses casos é o implante de uma prótese.

Tipos de priapismo

Na medicina, os especialistas distinguem dois tipos de priapismo:

  • Priapismo não isquêmico, que geralmente resulta de um trauma na região perineal, causando o escape de sangue arterial. Esse tipo de priapismo é considerado menos grave, já que o sangue que circula no pênis é cheio de oxigênio.
  • O priapismo isquêmico é o mais comum e o mais urgente. Ele pode ser o resultado de um coágulo no pênis, de uma anomalia no retorno venoso ou de outros fatores, como um trauma causado após comprimir o membro. Geralmente a condição aparece durante as relações sexuais ou durante uma ereção noturna.  Esse tipo de priapismo é doloroso, pois causa asfixia nas fibras musculares dos corpos cavernosos.

Quais são as causas do priapismo nos homens?

Em aproximadamente 40% dos casos de priapismo masculino, não identificamos realmente o motivo do aparecimento da doença. No entanto, a principal causa do priapismo pode ser um problema na circulação sanguínea. Dentre outros, podemos destacar os seguintes:

  • anemia falciforme: doença genética que afeta os glóbulos vermelhos;
  • síndrome mieloproliferativa;
  • formação de coágulo nas artérias;
  • certos tipos de leucemia, distúrbios de coagulação ou, ainda, câncer;
  • problemas relacionados à drenagem do sangue, através das veias dos corpos cavernosos, em direção o pênis;

É importante observar que a ingestão de certos medicamentos também pode causar priapismo. Podemos citar, por exemplo:

  • antidepressivos (como a Trazodona), mas também ansiolíticos;
  • medicamentos antipsicóticos;
  • tratamentos injetáveis locais para a disfunção erétil (como caverject ou alprostadil)
  • tratamentos para hipertensão;
  • mau uso do anel peniano.

Outras causas, mais físicas, também podem causar priapismo, por exemplo:

  • uma lesão na coluna;
  • um choque (como quando se bate de bicicleta);
  • um trauma na região do períneo.

Como tratar o priapismo de forma eficaz?

Você deve buscar auxílio médico em caráter de urgência quando houver o diagnóstico de priapismo. O prognóstico da doença depende da rapidez com que ela é tratada.

Em primeiro lugar, o especialista irá diagnosticar de qual tipo de priapismo se trata — o que habitualmente se faz com informações pessoais do paciente, seu histórico de doenças e de uso de medicações. Muitas vezes, nessa etapa, pode-se fazer uma análise de sangue através da punção do pênis com uma agulha. Além disso, há a possibilidade do médico solicitar outros exames de imagem. 

Na maioria dos casos, quando se trata de um priapismo isquêmico, a solução mais eficaz é a punção dos corpos cavernosos com um cateter. Esse procedimento é feito sob anestesia local, permitindo, então, a sucção do sangue bloqueado no pênis.

Já nos casos de priapismo não-isquêmico, o tratamento pode ser inicialmente conservador (que previne ou ameniza o avanço da doença). Eventualmente, em alguns casos, é  necessário complementá-lo com um procedimento de embolização.

É importante saber que, dependendo da causa do priapismo, são muito diferentes os tratamentos que o seu urologista pode te oferecer. Por isso, vamos destacar aqui as soluções mais comuns e as circunstâncias em que elas são indicadas. 

Os diferentes tratamentos

Se esses primeiros passos falharem, serão consideradas medidas adicionais no contexto de urgência:

  • Nos casos de priapismo isquêmico que não obtiveram resposta com a punção e o esvaziamento do pênis, os próximos passos envolvem: lavagem com solução fisiológica e, em seguida, com medicamentos agentes vasoconstritores (como adrenalina ou fenilefrina) em concentrações precisas e calculadas. Isso provocará a contração dos vasos e a detumescência (retorno ao estado flácido) do pênis.
  • Se isso não funcionar, o próximo passo é o chamado shunt ou derivação. Trata-se de um tratamento cirúrgico, em que se cria uma rota de desvio para o sangue fluir para fora do pênis através de outros pontos da circulação interna. Existem várias técnicas diferentes, e todas elas ficam reservadas para casos mais graves que não apresentam resolução após 24 horas.
  • Prótese peniana: alguns tratamentos invasivos do priapismo podem, infelizmente, causar sérios problemas de ereção. A fim de resolver esses problemas, os médicos podem aconselhar você a colocar uma prótese peniana. Ela vai te ajudar a combater a disfunção erétil, e você vai poder endurecer e relaxar o pênis com uma bomba que acompanha a prótese (ou utilizar uma prótese semi-rígida maleável).

Como evitar novas crises

Dependendo do seu caso e do nível do problema, existem algumas coisas que você pode fazer. Por exemplo:

  • primeiramente, pare com certos comportamentos de risco, como uso incorreto ou excessivo de medicações injetáveis no pênis;
  • cuidado ao andar em certos veículos, como bicicletas;
  • consuma com moderação substâncias como o álcool ou pare completamente com o uso de outras drogas.

Se você tiver uma ereção persistente e que não acaba com o fim dos estímulos, procure atendimento médico caso os sintomas persistam por várias horas. Lembre que, geralmente, após 2 ou 3 horas de ereção ininterrupta, os corpos cavernosos podem se deteriorar de forma irreversível.

Se você notar quaisquer sintomas de priapismo, não deixe de consultar um profissional da saúde. Certamente um médico é a pessoa mais bem preparada para te ajudar e resolver o seu problema de ereção. Um priapismo não tratado pode, muito rapidamente, trazer problemas como, por exemplo:

  • trombose: o sangue coagula dentro do pênis;
  • isquemia: o sangue não se renova no pênis, podendo provocar uma esclerose;
  • impotência: se você não consultar um médico, poderá sofrer uma deterioração grave e irreversível de todos os vasos sanguíneos do pênis.

Consulte um médico especializado em sexologia na Omens

Omens.com.br é uma plataforma de saúde dedicada ao homem. Ela reúne urologistas, sexólogos e farmacêuticos para construir uma solução de qualidade, segura e acessível a todos.

A plataforma permite que você se consulte online com médicos especializados em sexologia. A consulta online pode ser feita por mensagem, telefone ou videochamada, além de apresentar muitas outras vantagens:

  • Consulte um médico especializado em sexualidade, que trata de distúrbios relacionados ao sexo diariamente.
  • Pague menos da metade do valor de uma consulta presencial com um urologista.
  • Agende uma consulta dentro de 24 horas (a espera média para uma consulta com um urologista especializado em sexologia no Brasil é de vários meses).
  • Peça pela internet os medicamentos necessários ao tratamento e eles serão entregues discretamente na sua casa por uma farmácia perto de você.
  • Evite o desconforto na sala de espera de um consultório ou na farmácia.

Fontes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *