Prostatite aguda e crônica: sintomas e tratamento

a próstata possui aproximadamente o tamanho e a forma de uma noz
BLOG OMENS / Sexualidade
logo da Omens
Escrito por

Ranieri Soares

Revisado por

Dr. João Brunhara

CRMSP 161.642
Última atualização

11 de abril 2022

Já sentiu uma dificuldade para urinar, vontade constante de ir ao banheiro e uma dor ou desconforto na região do períneo? Se sua resposta foi sim e você ainda não procurou ajuda médica, tome muitíssimo cuidado, pois provavelmente você desconhece o que está acontecendo em seu corpo: é possível que seja um caso de prostatite!

Mas, o que é prostatite? Quais são seus sintomas? E tem tratamento? Em caso afirmativo, qual o melhor remédio para prostatite? Você sabia que ela pode ser uma condição que varia de aguda a crônica?

Neste artigo, nós da Omens vamos explicar sobre essa condição, frequentemente dolorosa, que envolve a inflamação da próstata. Este texto traz informações que podem apontar na direção certa e ajudá-lo a encontrar um possível tratamento para você. 

Estamos acostumados a ouvir que é melhor prevenir do que remediar, por isso leia este artigo até o final e tenha o máximo de informações possíveis sobre a prostatite.

Prostatite: definição

A prostatite é um distúrbio da próstata associado à inflamação.

Assim, seus principais sintomas são: dor, dificuldade para urinar, além de dores no períneo, região pélvica ou genitais. As infecções bacterianas causam alguns, mas não todos os casos de prostatite. Ela pode surgir em qualquer idade, mas é comum acima dos 50 anos.

A próstata está localizada logo abaixo da bexiga nos homens, envolvendo a parte superior do tubo que drena a urina da bexiga, a uretra. A próstata e outras glândulas sexuais produzem o fluido que transporta o esperma durante a ejaculação, o sêmen.

Os cientistas identificaram quatro tipos de prostatite:

  1. prostatite bacteriana aguda: infecção bacteriana da próstata normalmente com sintomas súbitos e graves;
  2. prostatite bacteriana crônica: infecção bacteriana contínua ou recorrente, em geral com sintomas menos graves;
  3. crônica ou síndrome de dor pélvica crônica: dor pélvica contínua ou recorrente e sintomas do trato urinário sem evidência de infecção;
  4. inflamatória assintomática: sinais de uma próstata inflamada, mas sem sintomas.

Como o nome já diz, homens com prostatite inflamatória assintomática não apresentam sintoma. Por isso, somente um profissional de saúde pode diagnosticar prostatite inflamatória assintomática ao testar outros distúrbios do trato urinário ou do trato reprodutivo. Esse tipo de prostatite não causa complicações e não necessita de tratamento. Aliás, normalmente ela é diagnosticada por acaso, quando é feita uma biópsia da próstata por suspeita de câncer e o resultado é apenas uma inflamação assintomática.

No entanto, ainda deve ter gente se perguntando: o que é a próstata? 

O que é a próstata?

A próstata é uma pequena glândula que fica entre o pênis e a bexiga e que faz parte do sistema reprodutor masculino: sua principal função é produzir o líquido seminal. O fluido da próstata é essencial para a fertilidade de um homem. 

A glândula envolve a uretra no colo da bexiga, sendo que o colo da bexiga é a área onde a uretra e a bexiga se unem. Bexiga e uretra são partes do trato urinário inferior.

A próstata, por outro lado, tem dois lobos laterais e um lobo mediano (central) e fica na frente do reto, logo abaixo da bexiga. A uretra é o tubo que transporta a urina da bexiga para o exterior do corpo e, nos homens, ainda transporta o sêmen através do pênis.

Prostatite ou próstata inflamada [Omenscast #38]

No nosso 38º episódio do Omenscast, o médico urologista João Brunhara vai apresentar todos os detalhes da prostatite, ou seja, da próstata inflamada: sintomas, causas e remédios. A transcrição do áudio você poderá encontrar aqui.

O que causa a prostatite?

Prostatite crônica ou síndrome de dor pélvica crônica: inicialmente sua causa exata é desconhecida, porém pesquisadores acreditam que um microrganismo, embora não seja uma bactéria, pode causar a doença. Esse tipo de prostatite também pode estar relacionado a produtos químicos na urina, a resposta do sistema imunológico a uma infecção do trato urinário (ITU) anterior ou a danos nos nervos da região pélvica.

Além disso, esse tipo pode ter relações fortes com ansiedade e estresse. Isso porque fatores emocionais podem causar espasmos do músculo do esfíncter urinário e irritar a glândula prostática ou fazer com que fluidos da uretra retornem para o interior da próstata, irritando os tecidos internos.

Prostatite bacteriana aguda e crônica: é uma infecção bacteriana da próstata. O tipo agudo acontece de repente e dura pouco tempo, enquanto o tipo crônico se desenvolve lentamente e durante muitos anos. A infecção pode ocorrer quando as bactérias viajam da uretra para a próstata.

Inúmeras teorias buscam explicar as possíveis causas dessa inflamação, contudo, nenhuma é certa e algumas até não são bem compreendidas até hoje. Entre elas há:

  • Atividade sexual: homens jovens em atividade sexual com inflamação da uretra ou infecção sexualmente transmissível (IST), como gonorreia ou clamídia, são aqueles mais prováveis de desenvolver prostatite não bacteriana. 
  • Outros agentes infecciosos: a inflamação às vezes tem relação com algum agente infeccioso que os testes ainda não podem detectar.

A prostatite é um distúrbio do trato urinário bastante comum em homens jovens, aqueles com menos de 50 anos e o terceiro problema mais comum do trato urinário em homens com mais de 50 anos. É responsável por levar cerca de 25% dos homens brasileiros a consultarem médicos urologistas.

Sintomas

Várias condições podem contribuir para os sinais e sintomas associados à prostatite, que mudam dependendo da causa e podem não ser exatamente os mesmos para todos os homens. Alguns sintomas são similares aos de outras condições, enquanto outros podem incluir: 

  • dor ou sensação de queimação ao urinar (disúria)
  • dificuldade em urinar, como gotejamento ou micção hesitante
  • micção frequente, particularmente à noite (noctúria)
  • necessidade urgente de urinar
  • urina turva
  • sangue na urina
  • dor no abdômen, virilha ou parte inferior das costas
  • ejaculação dolorosa
  • dor na área entre o escroto e o reto (períneo)
  • dor ou desconforto do pênis ou testículos
  • febre, calafrios, dores musculares e sintomas mal estar geral (com prostatite bacteriana aguda)

Enfim, é importante obter um diagnóstico correto e preciso, além de tratamento o mais rápido possível.

Tratamento

O tratamento para a prostatite depende se você tem prostatite aguda ou crônica.

Tratamento de infecção

Se você tiver prostatite bacteriana aguda ou crônica, tomará antibióticos. A doença aguda pode geralmente ser tratada com analgésicos e antibióticos por 2 a 4 semanas. No entanto, o tratamento hospitalar pode ser necessário caso você esteja muito doente ou incapaz de fazer xixi.

O tratamento para prostatite crônica (em que os sintomas aparecem e desaparecem ao longo dos meses) comumente visa controlar os sintomas. Então, dependendo de quanto tempo você teve sintomas, seu médico pode sugerir:

  • analgésicos, como paracetamol ou ibuprofeno;
  • antibióticos;
  • laxante, se for doloroso fazer cocô.

O objetivo é reduzir os sintomas para que eles interfiram o mínimo possível em seu cotidiano. Da mesma forma, tomar toda a medicação prescrita é importante para eliminar a infecção e reduzir o risco de prostatite bacteriana crônica.

Tratamento dos sintomas urinários

Medicamentos, chamados alfabloqueadores, ajudam a relaxar o colo da bexiga e as fibras musculares onde a próstata se une à bexiga. Este tratamento alivia os sintomas urinários, como a dor ao urinar. Embora isso seja normalmente prescrito para pessoas com prostatite crônica/síndrome de dor pélvica crônica, pode ser prescrito para aliviar os sintomas urinários de infecções bacterianas.

Antibiótico

Os antibióticos que penetram melhor no meio ácido da próstata são apolares e lipossolúveis e têm uma alta medida de força ácida, um pequeno raio molecular e baixa ligação às proteínas séricas.

Os medicamentos que se enquadram melhores nesses critérios são as fluoroquinolonas, doxiciclina, minociclina (especificamente eficaz contra Staphylococcus aureus resistente à meticilina [MRSA]), trimetoprim, rifampicina e eritromicina.

Deste grupo, as fluoroquinolonas parecem atingir os melhores níveis teciduais.

Assim, o(a) urologista pode prescrever outros medicamentos, como:

  • alfabloqueadores como doxazosina e tansulosina, a fim de ajudar a urinar melhor;
  • antiinflamatórios não esteróides, também chamados de AINEs (por exemplo: aspirina, ibuprofeno e naproxeno sódico);
  • relaxantes musculares, como ciclobenzaprina (Amrix, Flexeril) e clonazepam (Klonopin);
  • por fim, neuromoduladores como amitriptilina, nortriptilina (Aventyl, Pamelor) e pregabalina (Lyrica), apenas no caso de prostatite crônica, especificamente a dor pélvica crônica.

Prostatite crônica

Esse tipo de prostatite, em geral, se desenvolve lentamente e pode durar 3 ou mais meses. Os sinais e sintomas podem ou ir e vir, ou podem ser leves o tempo todo. A prostatite crônica pode ocorrer quando o tratamento para uma infecção aguda não é longo o suficiente ou não consegue matar todas as bactérias.

Assim, você pode ter prostatite crônica se tiver alguns dos seguintes sintomas por pelo menos 3 meses:

  1. dor dentro e ao redor do pênis, testículos, ânus ou abdome inferior, ou parte inferior das costas;
  2. dor ao fazer xixi;
  3. frequência e urgência urinária;
  4. problemas para iniciar um fluxo de urina;
  5. fluxo de urina fraco ou interrompido (bloqueio urinário);
  6. uma próstata aumentada ou sensível ao toque retal;
  7. problemas sexuais, como disfunção erétil;
  8. ejaculação dolorosa;
  9. dor pélvica após o sexo.

Tais sintomas têm um impacto significativo na sua qualidade de vida, mas, na maioria dos casos, eles vão melhorar gradualmente ao longo do tempo com o tratamento correto.

Prostatite aguda

Habitualmente causada por cepas comuns de bactérias, a infecção pode ter se espalhado de outras partes do sistema urinário e reprodutivo. Os sintomas da prostatite aguda surgem de repente e geralmente são graves, por isso os homens devem procurar atendimento médico imediatamente. Os sintomas podem incluir, por exemplo:

  1. dor, que pode ser grave, dentro ou ao redor do pênis, testículos, ânus, abdome inferior ou parte inferior das costas (fazer cocô pode ser doloroso);
  2. dor ao urinar, necessidade de fazer xixi com frequência (especialmente à noite), problemas para começar a urinar – às vezes, há sangue na urina;
  3. não conseguir fazer xixi, assim levando a um acúmulo de urina na bexiga conhecido como retenção urinária aguda – o que requer atenção médica urgentemente;
  4. normalmente se sentir mal, com dores e possível elevação da temperatura corporal;
  5. dor lombar e dor ao ejacular.

Homens com infecções do trato urinário (ITUs) mais baixas podem ser mais propensos a desenvolver prostatite bacteriana aguda. Infecções recorrentes ou difíceis de tratar no sistema urinário podem levar à prostatite bacteriana crônica. Consulte um médico urologista!

Quais são as complicações da prostatite?

As complicações da prostatite podem incluir:

  • infecção bacteriana na corrente sanguínea;
  • abscesso prostático, isto é, uma cavidade cheia de pus na próstata;
  • disfunção sexual;
  • inflamação dos órgãos reprodutivos perto da próstata.

Como a prostatite é diagnosticada?

Um profissional de saúde diagnostica a prostatite com base em:

  • histórico médico pessoal e familiar;
  • exame físico;
  • exames de sangue (como hemograma, PCR e PSA), de urina; e
  • exames de imagem, por exemplo uma ultrassonografia da próstata.

O médico urologista pode ter que descartar outras condições que causam sinais e sintomas semelhantes antes de diagnosticar esse distúrbio. 

Fatores de risco para prostatite

É mais provável que você tenha prostatite aguda se tiver:

  • uma infecção do trato urinário recentemente;
  • um cateter urinário, ou seja, um tubo flexível que é usado para drenar a urina da bexiga;
  • feito uma biópsia da próstata;
  • uma infecção sexualmente transmissível (IST);
  • HIV ou AIDS;
  • um problema com trato urinário;
  • feito sexo anal;
  • machucado a pélvis.

É mais provável que você tenha prostatite crônica se:

  • for mais velho: homens com idade entre 50 e 59 anos são 3 vezes mais propensos a ter a condição do que homens entre 20 e 39 anos;
  • já teve prostatite antes;
  • tem outras condições abdominais dolorosas, como síndrome do intestino irritável;
  • foi abusado ​​sexualmente.

Conclusão: quem tem problema de próstata fica impotente?

Por fim, lembremos que a prostatite não é câncer de próstata e não há evidências diretas de que ela aumente as chances de contrair o câncer. Pesquisadores ainda estão investigando se a inflamação crônica da próstata é um fator de risco para o câncer.

Vale ressaltar: se você tem algum destes sintomas ou acredita que possa estar passando por isso, é importante marcar uma consulta com um médico especializado: e o atendimento online pode te ajudar!


Referências

Consulte online um médico ou psicólogo especializado em sexualidade

A Omens é uma plataforma de saúde dedicada à saúde sexual e mental, que reúne médicos urologistas, terapeutas sexuais e farmacêuticos com o objetivo de construir soluções seguras, de qualidade e acessíveis a todos.

Por isso, a plataforma permite que você consulte online médicos especialistas em temas sobre sexualidade, além de psicólogos sexólogos. As consultas online podem ser feitas por mensagens, pelo celular ou por videochamada, por exemplo, além de apresentar muitas outras vantagens:

  • Consulte um médico ou psicólogo especializado na área, que trata diariamente de problemas relacionados ao sexo.
  • Pague menos da metade do valor de uma consulta presencial com um urologista.
  • Agende uma consulta para o mesmo dia! (no Brasil, aliás, muitos pacientes têm de esperar vários meses até conseguir agendar uma consulta presencial com um urologista)
  • Peça pela plataforma os medicamentos necessários para o seu tratamento e, então, eles serão entregues discretamente na sua casa por uma farmácia certificada
  • Além disso, evite o desconforto ou a vergonha na sala de espera de um consultório ou em farmácias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *