Omenscast #17: Guia dos remédios para ereção

BLOG OMENS / Tratamentos
Escrito por

Caio Vega

Revisado por

Dr. João Brunhara

CRMSP 161.642
Última atualização

1 de setembro 2021

No nosso 17º episódio do Omenscast, o médico urologista João Brunhara vai fazer um apanhado detalhado dos remédios para ereção disponíveis no mercado, abordando tanto as substâncias farmacológicas como as naturais mais conhecidas.

Seja bem-vindo ao blog da Omens e fique à vontade para ouvir o nosso podcast! A transcrição do áudio também está logo abaixo.

Se você chegou até aqui, você está querendo saber mais sobre os remédios para ereção, talvez escolher algum deles para usar. Afinal, existem vários remédios para disfunção erétil no mercado, e nem sempre é fácil entender as diferenças entre eles. E, então, o que é bom para disfunção erétil? Qual o melhor remédio para ereção? E mais importante: qual o melhor remédio para o meu caso? Vamos responder essas dúvidas e muito mais.

Olá, eu sou João Brunhara, médico urologista, e esse é o podcast da Omens sobre saúde sexual masculina.

No finalzinho dos anos 90, foi lançado no mercado um remédio que iria mudar para sempre a vida dos homens que buscavam um remédio para a impotência. Até então, os tratamentos disponíveis eram com remédios naturais, usados há séculos em várias culturas locais (e de eficácia bem mais incerta!).

E foi, então, em 1998, que o Viagra mudou a realidade dos homens que tinham disfunção erétil, oferecendo resultados fortes e rápidos.

No geral, os remédios para ereção se agrupam entre os inibidores da fosfodiesterase 5 (viagra, cialis entre outros), os de uso tópico ou injetável no pênis e os remédios naturais. Vamos falar um pouco mais de cada grupo.

Viagra, Cialis, Levitra e Stendra

Os inibidores da fosfodiesterase 5 são os medicamentos mais famosos de via oral e bastante eficazes para disfunção erétil.

O primeiro deles foi o Viagra, cujo nome do genérico é sildenafil. Depois surgiram o cialis (que é o tadalafil), Levitra (também chamado vardenafil) e por último o stendra, que é o avanafil.

Todos eles funcionam de forma semelhante, mantendo as artérias do pênis abertas por mais tempo após o início da ereção. Com isso, são remédios para uma ereção prolongada e também mais forte e confiável.

É importante lembrar que todos esses remédios reforçam a ereção, mas não deixam o pênis rígido do nada. Ou seja, você ainda precisa estar com desejo, excitação e estimulação, e só assim os medicamentos vão funcionar. 

Existem algumas diferenças entre eles:

Tanto o Viagra quanto o Levitra demoram de 30 minutos a 1 hora para iniciar o efeito, e duram aproximadamente 4 a 5 horas – com o detalhe de que têm que se ingerir em jejum.

Já o cialis começa a funcionar de 1 a 2 horas após ingerido, mas seu efeito dura até 36 horas, só que em boa parte dessa duração, de forma menos intensa do que o viagra ou levitra. Ah, e para o cialis você não precisa estar de estômago vazio.

E, além disso o stendra, que é o mais recente de todos, já começa a agir dentro de 15 minutos.

Recomendações

Então, por exemplo, para um homem de 40 anos que está com ereções mais fracas e sem confiança, e que gostaria de ter relações várias vezes por semana, tomar cialis 2 ou 3 vezes na semana pode ser uma boa solução – acompanhada, é claro, de atendimento médico e psicológico. Já para um homem de 70 anos, diabético e hipertenso e que tem relações muito raramente, de forma até mais programada, e precisa de um reforço na ereção, o viagra é uma pedida mais interessante para uso esporádico – e, logicamente, quando prescrito por um médico.

Já quanto aos efeitos colaterais e contraindicações eles são semelhantes. Basicamente ficam proibidos para pacientes com uso de medicamentos à base de nitratos para o coração, como monocordil ou isossorbida. E, de qualquer forma, toda prescrição deve ser feita por um médico, que avaliará caso a caso as contraindicações e melhores opções para cada paciente.  

E os principais efeitos colaterais são: dor de cabeça, queda na pressão, aumento da frequência cardíaca e nariz entupido. Mas ter um efeito colateral com o viagra não quer dizer que você vai ter o mesmo com o cialis e vice-versa. Em geral, o stendra é o que costuma ter um perfil com menos efeitos adversos. 

Alprostadil e demais medicamentos tópicos ou injetáveis

Além desses remédios de via oral, existem as medicações para uso direto no pênis, seja em gel (injetados por uma espécie de caneta no orifício do canal da urina chamado uretra), sejam os injetáveis por agulha – as chamadas injeções intracavernosas.

Basicamente usamos eles quando os remédios de via oral ou não funcionam, ou quando não se pode usar. Por exemplo, um senhor de 70 anos, que já teve um infarto anos atrás e que toma uma medicação para o coração a base de nitratos, não pode tomar viagra. E aí consideramos o uso de remédios de uso direto no pênis. 

O principal e mais usado é o alprostadil, que aumenta a dilatação das artérias e gera uma ereção mesmo na ausência de estímulo, aproximadamente 10 a 15 minutos após seu uso. Podem ser associadas a fentolamina e/ou a papaverina, em formulações chamadas de bimix quando existem 2 remédios, ou trimix, quando são 3 remédios na fórmula.

Basicamente, são os mesmos fármacos usados na uretra ou na injeção intracavernosa. A diferença é que a formulação na uretra precisa de uma concentração maior, pois sua absorção é menor e, com isso, o efeito da medicação uretral também tende a ser menos intenso. Já a injeção intracavernosa é extremamente eficaz com uma concentração bem baixa dos remédios. 

Essas medicações só devem ser usadas sob orientação médica, principalmente as injetáveis, que inclusive precisam de um treinamento individualizado sobre como injetar. Os principais riscos são de priapismo, que é uma ereção que não passa mesmo depois de 4 horas, hematomas ou até fibrose no penis. Na presença de priapismo ou hematoma, o paciente deve procurar um pronto socorro com urgência. 

Remédios naturais

Ok, você já descobriu sobre o viagra, sobre os injetáveis, mas talvez não seja o que você procura. Tem pessoas que querem saber como aumentar a ereção por mais tempo, com mais confiança e segurança, mas sem usar remédios considerados fortes ou com efeitos colaterais mais incômodos. Normalmente, são pessoas que têm um problema de ereção, mas não tão intenso, e buscam um remédio natural. E, então, qual o remédio que substitui o viagra?

Existem alguns fitoterápicos e remédios naturais que já foram estudados para melhorar a ereção. De fato, os estudos mostram que eles realmente podem ajudar na ereção e até na libido. Porém são menos estudados do que os remédios farmacológicos e, além disso, nos estudos, seus efeitos são menos expressivos do que os vistos, por exemplo, com o viagra. Sabendo-se dessas características, esses fitoterápicos podem ser uma opção interessante para quem quer alternativas.

Entre eles podemos citar o tribulus, a maca peruana, o ginseng coreano, a iombina, entre outros. Vale lembrar que mesmo sendo remédios naturais, eles podem ter efeitos colaterais; por exemplo: a ioimbina pode aumentar a pressão arterial e o ginseng pode trazer insônia e agitação. Por isso, também devem ser usados sob supervisão médica.

Como fazer?

Resumindo, existem vários tipos diferentes de remédios para ereção, e definir qual o melhor remédio para ereção vai depender de fatores de cada paciente. 

Naturalmente, é muito importante passar por uma avaliação médica para ajudar a definir isso.

E, por fim, onde comprar remédios para disfunção erétil? De novo, depende. Primeiro, sempre procure uma fonte confiável, como farmácias oficiais e homologadas, sejam drogarias convencionais ou farmácias de manipulação com documentação completa. E evite comprar produtos de sites cuja origem você não conhece.

Alguns remédios como viagra ou cialis, ou seus genéricos, estão disponíveis em qualquer farmácia basicamente. Tem uma exceção que é o stendra, que não existe no Brasil ainda, pelas grandes farmacêuticas. No caso do stendra, você pode encontrá-lo em algumas farmácias de manipulação que importam a matéria prima e produzem as cápsulas.

Da mesma forma, os remédios injetáveis e os fitoterápicos muitas vezes precisam ser manipulados em farmácias especializadas. Por isso, é importante ter referências de farmácias sérias, oficiais e fiscalizadas.

Se você tem problemas de ereção, se consulte com um urologista especializado em sexualidade para descobrir as melhores soluções para o seu caso.

E se você ainda tem dúvidas ou comentários, continue essa conversa nas nossas páginas: no Facebook, Instagram ou no blog. Vejo você lá!

Garanta sua prescrição e compre o seu medicamento: tudo online!

Consulte pelo celular ou pelo computador um médico especialista em saúde sexual masculina hoje mesmo (a partir de R$ 69).

Com a receita médica em mãos, você solicita o seu remédio pela própria plataforma e uma farmácia certificada faz a entrega na sua casa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *