Como fazer sexo bem?

BLOG OMENS / Sexualidade
Escrito por

Caio Vega

Revisado por

Dr. João Brunhara

CRMSP 161.642
Última atualização

9 de maio 2021

Não temos a pretensão aqui de entregar a você um “manual de instruções” sobre como fazer um bom sexo. Mesmo porque não há um método universal! Além disso, dependendo da(o) parceira(o), as respostas à pergunta do título deste artigo não serão as mesmas.

Mesmo assim, podemos te passar umas dicas para você evitar alguns erros!

Fazer um bom sexo é, antes de tudo, saber conversar e escutar

Um “sexo bom” começa quando sabemos escutar a outra pessoa.

O diálogo é essencial para identificar como cada parceira(o) sente prazer. O sexo é feito de duas (ou mais!) pessoas: por isso, é importante sentir e dar prazer ao mesmo tempo.

É importante que ambos concordem com essa noção de prazer: dizemos que uma relação sexual é “satisfatória” quando a(o) parceira(o) também sente prazer com você!

Mas não estamos focando apenas no orgasmo: o sexo não está necessariamente “arruinado” se a(o) parceira(o) não gozou. Mesmo assim, claro, é importante colocar o prazer da outra pessoa como motivação principal.

A ideia é adotar uma atitude mais calma e descontraída e procurar ouvir o outro.

CONSULTAR UM

UROLOGISTA ONLINE

Por que esperar para resolver algo que tem solução?

CONSULTAR UM UROLOGISTA ONLINE

Por que esperar para resolver algo que tem solução?

Conheça as zonas erógenas do corpo!

Elas variam de pessoa para pessoa, mas, prestando atenção nas reações, você pode identificar quais regiões mais excitam cada parceira(o).

Dar e receber carícias é bastante prazeroso: você pode fazer o desejo da outra pessoa aumentar com simples toques ou beijando as zonas erógenas do corpo dela… A boca, os lábios, o pescoço e até mesmo as orelhas são regiões que podem fazer o desejo sexual crescer!

Algumas áreas são certamente mais erógenas que outras (clitóris, seios, pênis…). Mas é importante diversificar os seus estímulos para surpreender a(o) parceira(o) e também se adaptar a cada pessoa.

Um bom sexo não é apenas penetração

A penetração não é a única fonte de prazer no sexo.

Há diversas maneiras de se dar prazer à(o) parceira(o). A penetração não é indispensável. Dependendo da situação, do período do dia, do local, etc., você pode satisfazer uma pessoa de diferentes maneiras!

É necessário parar de aprisionar a relação sexual e, assim, reduzi-la à penetração: não é só com ela que necessariamente sentimos prazer. É muito importante saber dar prazer de outras formas. Carícias (com a boca, o tato,…), por exemplo, podem ser uma maneira de aumentar o desejo. E, às vezes, tornam a penetração ainda mais excitante.

Por fim, uma observação relativa aos homens: na maioria dos casos, os homens atingem o orgasmo durante a relação sexual; por outro lado, esse está longe de ser o caso das mulheres.

Talvez seja bom reconsiderar a relação que você tem com o sexo, entendendo principalmente que o orgasmo feminino é mais complexo e que a penetração está longe de ser a única possibilidade de dar prazer.

Você não precisa “performar” para ter um sexo bom

Com o risco de perder de vista o prazer da(o) parceira(o), evite pensar em sexo como uma performance, ou seja, quase como uma atuação. Assim você vai agir de forma artificial e vai perder a noção do jogo sexual, da sensibilidade, da troca de prazer…

Não é porque uma relação sexual dura 3 horas que ela será prazerosa para a(o) parceira(o), assim como o tamanho do pênis não é o fator determinante de prazer para muitas das mulheres.

Cuidado com o excesso de pornografia

O pornô pode contribuir para uma imagem distorcida da sexualidade. É importante lembrar que, embora ele seja um entretenimento sexual, que pode ser prazeroso para muitos e pode refletir alguns estereótipos da sociedade, ele não é um bom parâmetro a se seguir, muito menos um “manual de instruções”.

Os atores e as atrizes, na realidade, sentem pouco ou nenhum prazer durante as cenas.

Foi até mesmo comprovado que a relação com a sexualidade é completamente alterada em certas pessoas que sofrem como dependentes da pornografia: queda na libido, pouca excitação com a(o) parceira(o)… Isso porque a realidade está bem longe daquilo que vemos na tela.

O pornô, portanto, não ensina como fazer um bom sexo: na verdade, ele pode induzir você ao erro.

Ouse tentar posições diferentes!

Algumas posições são mais prazerosas do que outras: aprenda a identificar cada uma delas. 

A posição do missionário (“papai e mamãe”) pode ser revisitada: o homem fica de joelhos, a mulher deitada sobre as costas com as pernas dobradas por cima dos seios. Assim a penetração é mais profunda e o homem pode estimular o clitóris da sua parceira.

Não esqueça também das posições em que a mulher está no controle ou, também, da que chamamos de “cachorrinho” ou “de quatro”. Elas possibilitam que o homem use as suas mãos e veja a parceira mover os quadris — o que muitas vezes é uma ótima fonte de prazer.

Resumindo: varie e adapte as suas posições dependendo do efeito desejado.

Encare o sexo de uma forma flexível e despreocupada

Quando abordamos a relação sexual de maneira estressada ou ansiosa, acabamos não sentindo muita coisa. Se você estiver muito tenso, seu corpo pode não se deixar levar pela sensação de prazer.

Isto vale não apenas para as mulheres mas também para os homens: masturbar-se ocasionalmente pode ajudar você a conhecer melhor o seu corpo e os seus reflexos. Dessa forma, quando chegar na hora H, você vai conseguir se soltar mais facilmente junto da outra pessoa.

De qualquer forma, é importante não ficar se pressionando.

Cuide da sua vida sexual!

A experiência vem com a prática! Independentemente de você estar solteiro ou em um relacionamento, faça sexo com frequência. Isso vai aumentar a sua confiança e você vai se sentir cada vez mais confortável com o seu corpo ou com o corpo da(o) parceira(o).

Não deixe a dúvida se estabelecer. Vocês podem, a dois, experimentar novos lugares, por exemplo. Surpreenda a outra pessoa e crie novas fantasias.

A importância do psicológico na sexualidade

Por fim, lembre que o prazer e a psicologia estão intimamente ligados. Palavras, brincadeiras e atitudes muitas vezes geram bastante excitação. “Fazer um sexo bom” também significa saber como excitar ou estimular psicologicamente a outra pessoa. O psicológico é tão importante quanto o físico!

Uma pessoa pode não nos parecer atraente por diversos motivos: por causa das suas atitudes, pela maneira como ela fala, pelos seus hábitos… Por isso, no que diz respeito à relação sexual, não concentre todos os seus esforços somente no aspecto físico.

Conclusões

Em resumo: diversifique as suas práticas, os lugares, escute sempre o outro e se afaste dos clichês da pornografia! Não há nenhum método infalível para se fazer um bom sexo. Devemos, no entanto, conhecer o próprio corpo e os corpos das(os) nossas(os) parceiras(os).

Experimente novas posições, seja criativo, estimule psicologicamente sua(seu) parceira(o) para fazer com que ela desenvolva novos desejos!

Não transforme o sexo em algo mecânico: adapte-se a cada pessoa, seja altruísta! Há muitas formas de se relacionar sexualmente e a penetração não é a única maneira de se dar ou sentir prazer.

Consulte um médico especializado em sexualidade na Omens

A Omens é uma plataforma de saúde dedicada ao homem. Ela reúne médicos urologistas e farmacêuticos com o objetivo de construir soluções seguras, de qualidade e acessíveis a todos.

A plataforma permite que você consulte online médicos especialistas em temas sobre sexualidade. A consulta online pode ser feita por mensagens, pelo celular ou por videochamada, além de apresentar muitas outras vantagens:

  • Consulte um médico especializado na área, que trata diariamente de problemas relacionados ao sexo
  • Pague menos da metade do valor de uma consulta presencial com um urologista
  • Agende uma consulta para o dia seguinte! (no Brasil, muitos pacientes têm de esperar vários meses até conseguir agendar uma consulta presencial sobre problemas sexuais com um urologista)
  • Peça pela plataforma os medicamentos necessários para o seu tratamento e eles serão entregues discretamente na sua casa por uma farmácia certificada
  • Evite o desconforto ou a vergonha na sala de espera de um consultório ou em farmácias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *