Omenscast #42: Prazer, sexo oral e penetração

Omenscast, o minicast da sua saúde sexual: hoje o assunto é como fazer um sexo diferente, melhor
BLOG OMENS / Sexualidade
logo da Omens
Escrito por

Caio Vega

Dr. João Arthur Brunhara Alves Barbosa
Revisado por

Dr. João Brunhara

CRMSP 161.642
Última atualização

24 de outubro 2022

No nosso 42º episódio do Omenscast, o médico urologista João Brunhara vai dar dicas de como deixar o sexo mais “diferente”! Não estamos falando de nada super inusitado, mas de uma série de dicas que tornarão a relação mais prazerosa para ambos.

Seja bem-vindo ao blog da Omens e fique à vontade para ouvir o nosso podcast! A transcrição do áudio também está logo abaixo.

O que fazer para deixar o sexo mais prazeroso? Com certeza essa pergunta já passou na cabeça de quase todo mundo, principalmente em quem está começando a vida sexual ou descobrindo melhor sua sexualidade. Mas mesmo para quem já tem experiência, ficar muito tempo sem experimentar nenhuma novidade na cama pode fazer o sexo cair no tédio…

E, então, tem como deixar o sexo diferente, mesmo para quem é mais conservador?

Eu sou João Brunhara, médico urologista, e esse é o podcast da Omens sobre saúde masculina.

Conceitos gerais

Quero começar respondendo algumas perguntas básicas que a gente recebe nas redes sociais e na nossa página.

Primeiro, afinal o que é considerado sexo, no sentido de ser uma prática sexual, e o que é considerado apenas preliminares, carícias ou algo assim?

Por exemplo, muitas pessoas questionam e acham que sexo oral não é de fato sexo, por não haver penetração, e sim uma preliminar para esquentar a relação. Mas temos que entender que sexo é qualquer troca íntima que você tem com sua parceira ou parceiro. E isso inclui todas as ações que podem excitá-lo/a sexualmente, por exemplo: beijos, carícias, toques e o próprio sexo oral – e, claro, também a penetração.

Nós não ficamos muito preocupados em definir tipos de sexo, porque justamente a ideia é ter liberdade para alternar vários tipos de carícias e práticas, inclusive experimentando coisas diferentes a cada dia. Sexo com prazer pressupõe dar vazão aos desejos mais espontâneos das duas ou mais pessoas envolvidas. Por isso, é importante existir liberdade para explorar esses desejos, obviamente desde que haja consentimento de todos envolvidos e que ninguém esteja desconfortável com nada do que esteja acontecendo.

Mas falando um pouco sobre algumas modalidades mais comuns do sexo:

O que é penetração?

Considera-se penetração a introdução do pênis, de alguma outra parte do corpo, ou mesmo de um objeto, na vagina ou no ânus. Sendo assim, o sexo vaginal e o sexo anal envolvem a penetração, mas vale ressaltar de novo que a introdução de um objeto também é considerada penetração.

O que é sexo oral?

Sexo oral é sexo que se faz com a boca. Isso mesmo. O sexo oral é definido pela relação entre a boca e o órgão genital, ou seja, pênis, vulva, clitóris, mas também incluindo a possibilidade do contato oral com o ânus. O sexo oral pode gerar prazer para quem recebe mas também para quem faz, e inclusive o ato de dar e receber pode acontecer simultaneamente. 

Independentemente da prática sexual escolhida, com ou sem penetração, respeitar a vontade e o desejo da outra pessoa é fundamental para que a troca seja recíproca e ocorra da melhor forma possível. 

O que fazer para deixar o sexo mais prazeroso?

Para começar, é importante entender que não existe uma fórmula mágica. Não adianta ficar focado em repetir uma suposta dica infalível que alguém deu, e muito menos tentar copiar o que você vê em filmes pornô. Até porque, o objetivo não é demonstrar performance, e sim buscar como sentir prazer e como dar prazer para a outra pessoa. 

Naturalmente, as pessoas gostam de coisas diferentes. Então, tentar repetir algo que era legal em outra parceria pode simplesmente não ser interessante com uma outra pessoa. Conforme o casal cria intimidade e troca experiências e diálogo, um vai conhecendo o outro cada vez melhor. E, para aproveitar bem o momento, é fundamental estar relaxado, sem medo e sem se preocupar com performance.

Tendo em mente que não existe uma receita de bolo, vamos falar de algumas possibilidades que podem ajudar a deixar o sexo diferente e mais prazeroso.

Antes de tudo, é interessante trazer um conceito do seu estado mental que pode influenciar muito a sua experiência no sexo:

O conceito da mente do iniciante (budismo)

Essa ideia consiste em você estar totalmente aberto para aquele momento, como se fosse realmente um iniciante, que nunca viveu algo parecido. E faz sentido, porque, afinal, cada momento é único, você nunca viveu aquele momento antes. Esse tipo de atitude te deixa apto a ver e perceber tudo como se fosse a primeira vez, inclusive sem cair no piloto automático de fazer tudo como você já costuma fazer, e sim apreciando cada gesto, cada ato e cada detalhe.

Quem faz as coisas no automático não tem espaço para novidades ou outras possibilidades, mas, para quem enxerga o momento como um iniciante, as possibilidades são infinitas.

Na prática, uma das implicações desse pensamento é não ficar preso a um roteiro pré-definido do sexo, do tipo: 5 minutos de carícias com as mãos, depois mais 5 minutos de oral e, por fim, a penetração. Alterne com sua parceira ou parceiro todas as possibilidades do que vocês tiverem vontade; o sexo oral pode vir no começo, no meio, ou no fim; em alguns dias pode nem acontecer oral; em outros dias pode ser que vocês decidam nem fazer penetração, enfim… são múltiplas possibilidades.

E, por sinal:

Não coloque foco excessivo na penetração!

Trate as chamadas preliminares com toda consideração para buscar diversas expressões de prazer com as mãos, no sexo oral ou outras possibilidades. Desde que a outra pessoa esteja curtindo, use toda sua criatividade.

Para os homens que fazem sexo com mulheres, é fundamental conhecer a posição do clitóris, que é a parte mais sensível da genitália feminina. Além da parte externa do clitóris, que é a mais conhecida, existem também diversos pontos internos dentro da vagina que podem ter a estimulação prazerosa, sendo que eles estão quase todos no terço mais externo da vagina, e não na profundidade.

Outro conselho útil é variar as posições. Mas atenção: as posições do pornô têm o objetivo de gerar imagens para os filmes, mas não necessariamente são as mais prazerosas. Por isso, tenha outras fontes de pesquisa de posições, como o Kama sutra, que é um livro de quase 2 mil anos escrito na Índia, que descreve posições e comportamentos sexuais na tradição Hindu.

E não é só uma questão de variar por variar: aproveite as características de cada posição para tirar o que elas têm de melhor em cada contexto.

Por exemplo, quando a pessoa penetrada fica com as pernas para cima ou de 4, a posição possibilita uma penetração mais profunda. E, pensando especificamente numa relação heterossexual, as posições em que o pênis fica direcionado para a parte da frente da vagina têm mais facilidade de estimular o ponto G.

Algumas posições permitem mais contato visual entre as 2 pessoas, outras permitem a estimulação simultânea de outras zonas erógenas do parceiro, enfim… As possibilidades são várias e estão aí para serem exploradas, inclusive com a inclusão de mais pessoas no sexo para quem estiver aberto a essa possibilidade.

E, por último, mas não menos importante:

Não se esqueça dos acessórios

Um gel lubrificante básico já pode ser muito útil, tanto para suprir uma lubrificação insuficiente quanto para tornar o atrito da penetração mais agradável. E num próximo passo, existem produtos e lubrificantes que estimulam sensações nos genitais, como quente ou frio, e podem ser legais para trazer novas sensações no sexo. E nos acessórios propriamente ditos, as possibilidades também são inúmeras, e inclusive para pessoas mais conservadoras. Por exemplo, pode ser que nem todo mundo esteja disposto a testar um vibrador ou um plug anal na hora da relação. Mas por outro lado, o uso de um anel peniano com vibrador embutido pode ser interessante tanto para o homem (para fortalecer a ereção e as sensações) quanto para sua parceira ou parceiro.

Enfim, essas são apenas algumas de muitas possibilidades. O importante é ter como objetivo o sexo com prazer e não como demonstração de performance, e sempre dialogando com sua parceira ou parceiro.

E, se você ainda tem dúvidas ou comentários, fale com a gente nas nossas páginas no Instagram, Facebook, Youtube, TikTok ou no blog. Te vejo lá!

Problemas no relacionamento? Parceiro com alguma dificuldade?

Marcar Teleconsulta Agora

Converse ONLINE com um psicólogo especialista em sexualidade

2 comentário(s) sobre “Omenscast #42: Prazer, sexo oral e penetração

  1. Observador says:

    Julio ainda que tenha os fatores fisiológicos, a mente (o imaginário) conta muito: o querer, o buscar, o toque (carícias), o próprio sexo oral! Tive uma colega, já uma pessoa madura que conseguiu passar pela menopausa com “querencia” porque buscava dar jovialidade a pele. As mulheres sabem bem das transformações hormonais e vão buscando “se adaptarem” da melhor forma possível!

  2. Julio says:

    Tenho 76 anos e muito desejo de me relacionar com mulheres. Mas a ereção não dura muito, não atende os desejos. Isso tem solução ? Uma solução que faça a ereção durar mais tempo ?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?