Omenscast #9: Paroxetina e Pondera

Omenscast, o minicast da sua saúde sexual: o assunto de hoje é o pondera (ou paroxetina)
BLOG OMENS / Tratamentos
Escrito por

Caio Vega

Revisado por

Dr. João Brunhara

CRMSP 161.642
Última atualização

15 de junho 2021

No 9º episódio do Omenscast, o médico urologista João Brunhara vai tentar responder todas as suas dúvidas sobre o medicamento Pondera (paroxetina).

Seja bem-vindo ao blog da Omens e fique à vontade para ouvir o nosso podcast! A transcrição do áudio também está logo abaixo.

Se você chegou aqui, você tem uma curiosidade sobre essa medicação chamada paroxetina. Talvez você esteja querendo, tenha pensado em indicar para seu parceiro, ou enfim… Só quer saber mais. Então, vamos lá, eu vou te contar tudo que você precisa saber sobre a paroxetina (pondera).

Eu sou João Brunhara, médico urologista, e esse é o podcast da Omens sobre saúde sexual masculina.

Você talvez já tenha ouvido falar na Paroxetina ou no nome comercial famoso dela, o Pondera.

Nos 2 casos, estamos falando do mesmo remédio, que é um antidepressivo. Porém aqui, nosso foco será sobre o efeito da paroxetina em um tópico muito específico da sexualidade masculina: a ejaculação precoce. Aliás, se você tiver dúvidas em geral sobre a ejaculação precoce, você pode ouvir o nosso episódio sobre esse tema.

Mas voltando:

Para que serve a paroxetina?

Originalmente ela pertence a uma classe de antidepressivos chamada Inibidores Seletivos da Recaptação de Serotonina. Por trás desse nome, a ideia é que o organismo fica com mais Serotonina disponível. E esse neurotransmissor está basicamente vinculado à sensação de bem estar.

Por exemplo, quando você come um chocolate e tem aquele prazer imediato, aconteceu um pico de serotonina. Com isso, aumentar a serotonina ajuda a tratar a depressão. E não é à toa que justamente a paroxetina é um antidepressivo, podendo ser usada também para o tratamento de vários distúrbios de ansiedade, além da própria depressão.

Mas nesse podcast especificamente vamos falar sobre os efeitos sexuais dela.

Quando começaram a usar remédios dessa classe, nos anos 80, perceberam que os pacientes que tomavam demoravam mais para ejacular. E, então, chegou-se à conclusão de que a serotonina também ajuda a retardar a ejaculação. Com isso, tiveram a ideia de aproveitar esse efeito colateral do remédio justamente para tratar quem tinha ejaculação precoce.

Se você ouve o depoimento de quem tomou paroxetina, você nota que quem ejaculava muito rápido passa a durar alguns minutos a mais. E quem já tinha um tempo de penetração prolongado passa a ter até dificuldade muitas vezes em chegar ao orgasmo.

Para quem tem ejaculação precoce, parece perfeito né?

O problema é que para ter esse efeito, a paroxetina precisa ser tomada todos os dias. E os efeitos colaterais desses antidepressivos para uso diário são muito intensos…

Quais são os efeitos colaterais do cloridrato de paroxetina?

Em algumas pessoas a paroxetina dá sono, em outras pode causar agitação e insônia. Também podem ocorrer perda de libido, ganho de peso, tonturas, cansaço, enfim… Muitos aspectos negativos…

Por exemplo, dos homens que tomam paroxetina, ou outros medicamentos da classe dela, um a cada dois têm perda de libido (uma ironia, tomar um remédio para melhorar sua vida sexual e no fim parar de ter vontade de fazer sexo!). É verdade que muitos desses efeitos podem melhorar a longo prazo, mas, por exemplo: a alteração de libido costuma perdurar em mais de 80% dos casos que apresentaram o sintoma.

Nesse aspecto, por sinal, quem se destaca é um rival mais moderno chamado dapoxetina: com duração de efeito mais curto e uso apenas sob demanda 1 hora antes da relação, o perfil de efeitos colaterais é muito mais favorável (dando apenas dor de cabeça ou náusea em 5% dos pacientes, mas SEM esses efeitos de agitação ou perda de libido).

Então, vamos para a parte prática:

Como usar a paroxetina? Precisa de receita?

Quais são as interações perigosas e efeitos colaterais? Para quem é indicado o medicamento Pondera?

Como falei antes, parte das indicações são por conta de depressão ou ansiedade. Mas, no nosso caso, falando de medicina sexual, o Pondera pode ser indicado para quem tem o diagnóstico clínico de ejaculação precoce. Ou seja, ejacula rápido demais e em todas as relações (ou quase todas) de uma forma que traz incômodo persistente para a vida sexual. 

E como usar a paroxetina? Ela requer uso diário, sendo que a dose inicial habitual é de paroxetina 20 mg ao dia. Pacientes que tiveram, por exemplo, um efeito adequado com essa dose inicial, mas tiveram muita perda de libido, podem receber uma indicação de reduzir para paroxetina 10 mg ao dia numa tentativa de melhorar o efeito colateral. 

Além disso, a recomendação do fabricante é não misturar com álcool nem com drogas recreativas, pois ele pode potencializar os efeitos colaterais tanto do remédio quanto das drogas.

E, sim, a paroxetina precisa de receita, e inclusive de receita controlada já que é um medicamento da classe dos antidepressivos. 

E por fim, falando sobre as interações medicamentosas… Quem toma remédios para depressão, ansiedade ou outras medicações psicotrópicas deve informar seu médico, pois, dependendo do caso, pode não ser indicado misturar com a paroxetina. Por outro lado, existe a pergunta clássica:

Pode tomar junto com remédios para ereção?

Os estudos já mostraram que sim, pode, e que a mistura dos 2 medicamentos não tem interações perigosas. E, de novo falando da perda de libido, alguns estudos já testaram o uso de antídotos para evitar a perda de libido com uso de remédios da classe do pondera (por exemplo, associando bupropiona) e tiveram bons resultados. Mas, claro, com a desvantagem de ter que associar um outro remédio.

Aqui, cabe um último comentário:

A paroxetina pode ser um grande aliado para o controle a curto prazo da ejaculação precoce. Mas ninguém quer ficar dependendo de um medicamento para toda vida. Então, para médio e longo prazo, nada substitui tratar as causas de base da ejaculação precoce com terapias físicas, psicológicas e comportamentais.

Se você tem mais dúvidas ou comentários, continue a conversa nos comentários do nosso blog. E não deixe de seguir nossa página no Youtube, Instagram, e no Facebook.

Espero você lá!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *