Hipertensão e problemas de ereção

BLOG OMENS / Ereção
Escrito por

Caio Vega

Revisado por

Dr. João Brunhara

CRMSP 161.642
Última atualização

19 de janeiro 2021

Em primeiro lugar, vamos relembrar aqui no nosso post as características da hipertensão, seus riscos à saúde, analisar se pressão alta causa impotência e se existe alguma relação entre as duas condições. Em segundo lugar, vamos falar dos possíveis vínculos entre remédios para hipertensão e disfunção erétil.

A hipertensão arterial é uma das doenças crônicas mais comuns no Brasil. A condição afeta um a cada três adultos, atingindo menos de 10% dos jovens de 18 a 29 anos de idade e, ao mesmo tempo, em torno de 60% das pessoas acima dos 60 anos.

A pressão alta pode estar associada ou até provocar diversas complicações cardiovasculares, como, por exemplo: infarto, AVC, insuficiência renal, etc. No entanto, existem tratamentos nutricionais, muitas vezes acompanhados de medicamentos para estabilizar a pressão arterial.

Hipertensão X hipotensão: definições

Caracteriza-se a hipertensão como uma pressão arterial muito elevada.

Atualmente falamos em hipertensão arterial ou pressão alta quando o valor da aferição é alto: acima de 140 mmHg (milímetros de mercúrio); por outro lado, falamos em hipotensão ou pressão arterial baixa quando esse valor está abaixo de 90 mmHg. Além disso, a doença permanece por muito tempo sem apresentar sintomas, o que a torna perigosa.

As causas da pressão alta

Apesar de ainda não conhecermos as causas que explicam o surgimento da doença, existem certos fatores de risco; por exemplo: idade, sobrepeso, diabetes, consumo excessivo de sal, álcool ou cigarro, falta de atividade física… Entretanto, a condição também pode ter origem hereditária.

Às vezes, a doença também possui relação com outras enfermidades, como: doença das glândulas suprarrenais, doença vascular (coarctação da aorta), doença renal (insuficiência ou estenose da artéria renal), etc.

CONSULTAR UM

UROLOGISTA ONLINE

Por que esperar para resolver algo que tem solução?

CONSULTAR UM UROLOGISTA ONLINE

Por que esperar para resolver algo que tem solução?

Sintomas da hipertensão arterial

Diagnosticada na maioria das vezes tardiamente, caracterizamos a hipertensão por seus sintomas raros, já que são normalmente silenciosos. Por exemplo:

  • dores de cabeça;
  • problemas na visão;
  • tonturas, mal-estar;
  • ondas de calor.

Como tratar a hipertensão arterial?

Assim que identificamos a doença, podemos tratar a hipertensão em diversos aspectos. O primeiro passo é tomar medidas relacionadas ao estilo de vida e à alimentação:

  • reduzir o excesso de peso;
  • praticar atividades físicas regularmente, em função do estado de saúde;
  • reduzir o consumo de sal, álcool e cigarro;
  • adotar uma dieta balanceada.

Consulte este site para mais informações sobre hipertensão.

Pressão alta causa impotência?

Em média, as causas vasculares são responsáveis por 40% das disfunções eréteis, sobretudo nos pacientes acima de 40 anos – o que com certeza é um dado significativo.

O problema é que os homens raramente conversam sobre a sua própria sexualidade com um especialista e, infelizmente, poucos médicos abordam o assunto. Além disso, quando se sofre de hipertensão, o risco de se desenvolver também problemas de ereção é de 2 a 3 vezes maior.

Do mesmo modo, há também o risco de problemas de libido ou, mais raramente, de ejaculação.

Por que há casos em que a pressão alta causa impotência e problemas de ereção?

A hipertensão arterial é uma doença na qual as paredes das artérias perdem sua capacidade de se abrir adequadamente (vasodilatação). Chamamos isso de disfunção endotelial.

Quando essa disfunção afeta as grandes artérias do corpo, elas não se abrem o suficiente, o que coloca o sangue em seu interior sob pressão e, então, falamos em hipertensão arterial ou apenas pressão alta.

Mas, se esse problema afetar as pequenas artérias do pênis, elas não vão se abrir o suficiente. Assim, o sangue pode não entrar mais de forma adequada no membro para preenchê-lo e provocar a ereção.

Remédios anti-hipertensivos e disfunção erétil

Alguns tratamentos para a hipertensão podem causar efeitos colaterais na sexualidade do paciente. Esse é o caso de alguns betabloqueadores, diuréticos e metildopa, por exemplo.

É importante consultar um médico especialista para ajustar o seu tratamento para problemas sexuais, sobretudo se você estiver tomando remédios para hipertensão.

O tratamento da hipertensão deve sempre levar em conta a pressão arterial do paciente e o nível de risco cardiovascular.

Se você observar algum problema sexual, como uma disfunção erétil, por exemplo, é importante informar o seu médico sobre isso rapidamente. Isso porque os problemas podem afetar o seu humor e, por consequência, a eficácia do tratamento da hipertensão.

Algumas substâncias provocam ou mesmo agravam a disfunção erétil. Em resumo, ao tratar a hipertensão, é importante se atentar e realizar exames a respeito de uma possível disfunção erétil, ou até um diabetes ou depressão.

CONSULTAR UM

UROLOGISTA ONLINE

Por que esperar para resolver algo que tem solução?

CONSULTAR UM UROLOGISTA ONLINE

Por que esperar para resolver algo que tem solução?

Medicamentos para ereção: contraindicados em caso de hipertensão?

Na maior parte das vezes, em caso de pressão alta, não há contraindicação aos remédios para ereção. No entanto, existe uma norma internacional que define em quais casos não se deve fazer uso de medicamentos para ereção. Podemos resumir essa norma em 3 pontos:

  1. Não fazer uso de tratamentos para ereção enquanto a situação estiver instável: portanto, para homens submetidos a tratamentos anti-hipertensivos e com uma pressão estável, não há contraindicação. Mas fique atento: quem toma 3 ou mais remédios diferentes para controlar a pressão corre risco de hipotensão com remédios para ereção. Deve-se, portanto, ponderar os riscos, iniciar com doses menores do medicamento, etc. Para isso, consulte o seu médico.
  2. É proibido tomar medicamentos para ereção em caso de contraindicação a esforços físicos: então, a não ser que o médico peça ao paciente para repousar e não realizar nenhuma atividade, não há contraindicação.
  3. Nunca combinar remédios para disfunção erétil com nitratos ou doadores de óxido nítrico, pois essa mistura aumenta o risco de uma queda brusca na pressão.

Por fim, é importante saber que, após um episódio cardiovascular como infarto, crise hipertensiva, AVC, etc., recomenda-se esperar de 3 a 6 meses de estabilidade antes de tomar ou voltar a fazer uso de medicamentos para ereção.

Pressão alta causa impotência? (Conclusões)

Manter o diálogo com o seu médico é essencial para o tratamento da pressão e/ou de problemas de ereção. Informe o seu médico sobre os medicamentos que você está tomando e sobre qualquer condição médica que você tenha. Muitas vezes é possível adaptar o tratamento a cada caso.

Por fim, especialmente se você sofrer de hipertensão, há tratamentos eficazes para a disfunção erétil que não interagem com medicamentos anti-hipertensivos e podem ser usados com total segurança, desde que prescritos por um médico especializado.

Consulte um médico especializado em sexologia na Omens

Omens.com.br é uma plataforma de saúde dedicada ao homem. Ela reúne urologistas, sexólogos e farmacêuticos para construir uma solução de qualidade, segura e acessível a todos.

A plataforma permite que você se consulte online com médicos especializados em sexologia. A consulta online pode ser feita por mensagem, telefone ou videochamada, além de apresentar muitas outras vantagens:

  • Consulte um médico especializado em sexualidade, que trata de distúrbios relacionados ao sexo diariamente.
  • Pague menos da metade do valor de uma consulta presencial com um urologista.
  • Agende uma consulta dentro de 24 horas (a espera média para uma consulta com um urologista especializado em sexologia no Brasil é de vários meses).
  • Peça pela internet os medicamentos necessários ao tratamento e eles serão entregues discretamente na sua casa por uma farmácia perto de você.
  • Evite o desconforto na sala de espera de um consultório ou na farmácia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *