“Não consigo puxar o prepúcio”: fimose em adultos

BLOG OMENS / Ereção
Escrito por

Caio Vega

Revisado por

Dr. João Brunhara

CRMSP 161.642
Última atualização

4 de março 2021

Se você está aqui, pode estar se perguntando “como saber se tenho fimose”. A verdade é que, às vezes, quando acontece de o prepúcio (a pele que cobre a glande) ser muito apertado, impedindo a pessoa de descobrir a cabeça do pênis, pode ser fimose.

Esse fenômeno é comum, mas geralmente é constatado por pediatras durante a infância. No entanto, de vez em quando se descobre esse problema na adolescência ou na vida adulta.

Por isso, é importante consultar um médico: os tratamentos são relativamente simples e evitarão certas complicações.

O que é isso, afinal, e como saber se tenho fimose?

A pele que cobre a glande do pênis é chamada de prepúcio. A fimose ocorre quando a extremidade do prepúcio se estreita (o orifício prepucial), impedindo, assim, o homem de descobrir adequadamente (ou facilmente) a sua glande.

Normalmente, sem fimose, expor a glande é muito simples: basta retrair o prepúcio, ou seja, puxar a pele do pênis.

Vamos a alguns números:

  • apenas 4% dos recém-nascidos podem expor a glande por completo;
  • o mesmo vale para 50% das crianças com 3 anos de idade;
  • e, por fim, o mesmo ocorre com 99% dos adolescentes.

Diferentes tipos de fimose e suas causas

As causas podem não ser as mesmas quando a fimose surge na infância ou na vida adulta.

Fimose em bebês e crianças

A fimose é um fenômeno normal para recém-nascidos (nesses casos, chamamos de aderência balano-prepucial fisiológica, mas manteremos o termo fimose por facilidade). Isso porque o prepúcio dos bebês é longo e mais apertado. Assim, o orifício, muitas vezes estreito, acaba aderindo à glande. 

Na maioria das vezes, essa fimose não provoca qualquer incômodo ou problema e desaparece sozinha. À medida que o pênis cresce, e com o aparecimento das primeiras ereções “involuntárias” durante a infância, o prepúcio vai suavizando gradualmente.

Dessa forma, pode-se descobrir e recobrir a glande facilmente, e a fimose desaparecerá naturalmente.  

Para a maioria dos meninos mais novos, a fimose desaparece antes dos 5 anos de idade, às vezes um pouco mais tarde na infância, e mais raramente durante a puberdade.

Fimose em adultos

Há a possibilidade de ser uma fimose presente desde a infância e que nunca desapareceu. Mas pode acontecer de a fimose aparecer mesmo que fosse possível descobrir a glande antes disso. Chamamos esses casos de fimose adquirida.

Precisamente nessa situação, é a pele do prepúcio que ficou mais espessa. As causas possíveis são:

  • traumatismos (por exemplo, ao descobrir repetidamente a glande de forma forçada);
  • balanopostites de repetição;
  • uma doença dermatológica: eczema, líquen, psoríase, balanite xerótica obliterante…

Quando estabelecida durante a idade adulta, a fimose não desaparece sozinha.

Risco de complicações da fimose

Após os 5 ou 6 anos de idade, a fimose pode provocar:

  • Dificuldade em urinar: já que o prepúcio está muito apertado ao redor da glande, pode ser que o xixi saia em um fluxo fino, escasso, podendo acumular urina sob a pele e inchar o prepúcio.
  • Uma parafimose: a glande é “enforcada” pelo anel fimótico. Normalmente isso acontece após uma ereção ou depois de forçar o prepúcio para baixo. Então, é impossível cobrir com a pele novamente: a glande incha, provocando dor e reduzindo a circulação sanguínea no local. Por isso, deve-se procurar um médico com urgência.
  • Uma balanopostite, que é uma infecção da glande. A pele do prepúcio inflama e fica vermelha, assim como a glande, provocando uma sensação de ardência ao urinar e, em alguns casos, uma secreção de pus.
  • Infecções urinárias: a presença do problema favorece a ocorrência de infecções urinárias, sobretudo nas crianças.

Se a fimose ainda estiver presente na idade adulta, ela também pode se manifestar através de dores durante as ereções, além de prejudicar a vida sexual do paciente. Caso não seja tratada, aumenta-se o risco de câncer de pênis.

Tratamentos para a fimose

Em primeiro lugar, o médico poderá prescrever um creme à base de corticoides e hialuronidase (uma enzima que quebra o ácido hialurônico) para “afrouxar” a pele e tornar possível a retração do prepúcio.

Deve-se alertar que esse tratamento pode ter algum sucesso nas crianças, mas não é indicado para adultos com fimose – nesses casos, a cirurgia é o caminho mais eficaz.

Embora a palavra “cirurgia” possa já assustar algumas pessoas, essa operação é de baixo risco e muito simples. Basicamente, a postectomia (ou circuncisão) consiste em retirar o prepúcio.

A operação geralmente ocorre sob anestesia geral ou local e dura aproximadamente 30 minutos.

Cuidados pós-operatórios

Após a anestesia, o paciente pode sentir algumas dores normais devido ao processo de cicatrização. Portanto, deve-se evitar entrar no mar, em piscinas, banheiras, etc. Mas ainda é possível tomar banho normalmente, é claro.

Um leve inchaço também pode provocar ereções dolorosas. Para isso, pode-se prescrever analgésicos.

Em caso de sangramento (que, apesar de assustar, não é nada grave), basta pressionar o local com um pano limpo.

Normalmente leva de 2 a 4 semanas para que a cicatrização ocorra por completo.

Por que é importante consultar um médico

Não conseguir retrair a pele que cobre o pênis pode prejudicar a vida da pessoa, afetando a sua sexualidade, sua higiene e até sua capacidade de urinar.

E, embora esses problemas possam parecer bastante preocupantes, o tratamento da fimose é fácil e inofensivo.

Além de evitar complicações futuras, o paciente retorna a uma vida normal: com ereções normais e sem mais formigamentos ou ardência ao urinar.

Consulte um médico especializado em sexualidade na Omens

A Omens é uma plataforma de saúde dedicada ao homem. Ela reúne médicos urologistas e farmacêuticos com o objetivo de construir soluções seguras, de qualidade e acessíveis a todos.

A plataforma permite que você consulte online médicos especialistas em temas sobre sexualidade. A consulta online pode ser feita por mensagens, pelo celular ou por videochamada, além de apresentar muitas outras vantagens:

  • Consulte um médico especializado na área, que trata diariamente de problemas relacionados ao sexo
  • Pague menos da metade do valor de uma consulta presencial com um urologista
  • Agende uma consulta para o dia seguinte! (no Brasil, muitos pacientes têm de esperar vários meses até conseguir agendar uma consulta presencial sobre problemas sexuais com um urologista)
  • Peça pela plataforma os medicamentos necessários para o seu tratamento e eles serão entregues discretamente na sua casa por uma farmácia certificada
  • Evite o desconforto ou a vergonha na sala de espera de um consultório ou em farmácias

Fontes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *