Como posso ajudar meu marido com disfunção erétil

duas mãos diferentes se segurando, demostrando apoio ao marido ou companheiro
BLOG OMENS / Ereção
logo da Omens
Escrito por

Caio Vega

Revisado por

Dr. João Brunhara

CRMSP 161.642
Última atualização

14 de maio 2022

Um relacionamento é construído de momentos de intimidade e, em algumas situações, esses momentos podem sofrer interferências indesejadas. A disfunção erétil e a impotência sexual são, muitas vezes, as fontes dessa preocupação. Esses problemas causam inseguranças tanto no marido quanto na sua parceira ou parceiro e, quando não tratados adequadamente, exaurem a confiança do casal. 

Além disso, quando observamos o problema do ponto de vista da(o) companheira(o), existe muita culpa e frustração. Mas também existe vontade de ajudar a restaurar os momentos de carinho e privacidade.

Então, chegamos às perguntas chave: como posso ajudar meu marido com disfunção erétil? O problema está em mim? O que eu posso fazer para entender o problema e solucioná-lo?

A Omens te ajuda nessa!

“Meu marido está impotente sexualmente”: o que fazer?

Antes de mais nada, é preciso manter a calma e o diálogo. 

Sabemos bem o quanto a dificuldade em manter uma ereção pode afetar a relação de um casal, não só por parte do marido, mas também por parte da pessoa que está ali ao lado dele como parceira. Existe muita insegurança envolvida e quando, além disso, não há comunicação, as coisas podem piorar muito. 

Então, vamos começar refletindo sobre o problema e as causas físicas e psicológicas que o envolvem.

Começando a entender o problema

Para de fato ajudar o seu parceiro, você vai precisar entender um pouco mais sobre o problema da disfunção erétil (DE). De maneira sucinta, a DE se trata da dificuldade em manter ou obter uma ereção durante a relação sexual.

Esse é um problema muito comum e que afeta mais de 40% dos homens adultos brasileiros. Porém, ainda assim, o assunto é um grande tabu. Por isso, não é inusitado que os homens sofram em silêncio e não queiram adentrar o assunto com a(o) companheira(o). 

Outro ponto importante é que a disfunção erétil pode ter causas diversas, ou seja, não é em todo caso que a baixa libido ou falta de atração sexual estão relacionadas à DE. Se o pênis não fica ereto, podem existir problemas de saúde, problemas de cunho psicológico ou outras razões para o ocorrido. 

Disfunção erétil aos 40 anos [Omenscast #4]

No quarto episódio do Omenscast, o médico e urologista João Brunhara, especialista em sexualidade masculina, analisará os problemas de ereção em homens mais jovens, na faixa etária dos 40 anos. A transcrição do áudio você poderá encontrar aqui.

Por que o pênis não fica ereto: algumas causas da disfunção erétil

Como dissemos anteriormente, existem diversas causas para a disfunção erétil.

Assim, por existirem tantos fatores que podem originar o problema, o diagnóstico de um profissional da saúde se torna imprescindível na hora de buscar uma solução.

No entanto, listamos aqui alguns dos que mais comumente afetam uma boa ereção:

  • hipertensão arterial
  • diagnóstico de diabetes
  • depressão
  • transtorno de ansiedade
  • taxas baixas de testosterona
  • obesidade
  • sedentarismo
  • tabagismo
  • hipercolesterolemia (colesterol ruim alto)
  • cardiopatias
  • baixa libido
  • doenças da próstata
  • consumo excessivo de álcool
  • consequências de uma cirurgia

Portanto, como você pôde ver, existem causas emocionais e psicológicas que envolvem a saúde do homem, além de relações com a taxa hormonal e outros tantos fatores que influenciam no assunto. 

Quando o pênis não fica ereto não significa necessariamente que não exista mais atração sexual no relacionamento nem que o marido ou namorado não esteja mais interessado em você. Ele pode estar passando por alguma situação que requer tratamento médico ou psicológico e o seu apoio vai ser fundamental para superar essa dificuldade.

Idade e impotência sexual

A idade tem relação com a impotência sexual? 

Existem homens jovens que também possuem dificuldades de ereção, portanto não podemos concluir que o envelhecimento é causador direto da disfunção erétil. Mas, de fato, a DE tem mais chance de ocorrer com o passar dos anos.

Então, a pergunta que fica é:

Qual a idade que o homem começa a perder a potência? Existe uma idade limite?

Existem dados que destacam um aumento da DE em indivíduos entre os 40-70 anos. Na pesquisa realizada pelo MMAS, a incidência de impotência completa sobe de 5% para 15% no comparativo entre homens de 40 e 70 anos. Além disso, segundo estudos da ProSex (Projeto Sexualidade), homens com 60 anos possuem duas vezes mais chance de ter disfunção erétil. E o número triplica para aqueles com 70 anos ou mais.

A idade pode ser um dos fatores que recebe mais atenção, mas existem questões para além dela, que afetam de maneira significativa a vida sexual masculina. Podemos citar, por exemplo:

  • a hipertensão arterial;
  • doenças reumáticas;
  • e o diabetes.

Essas condições aumentam e muito o risco de desenvolver a DE.

Ainda refletindo sobre o estudo do MAAS, 30% dos homens da pesquisa que desenvolveram a disfunção erétil eram hipertensos.

Então, apesar de não ser uma regra, podemos dizer que a idade que o homem pode começar a perder a potência se encontra entre os 40-70 anos. 

Novamente, essa NÃO é uma regra!

Como já explicamos, existem fatores essenciais que determinam não só a qualidade da vida sexual, mas do indivíduo no geral. Esses fatores são mais importantes do que a idade em si.

Isso também não quer dizer que homens nessa faixa etária não podem ter uma vida sexual saudável e satisfatória. Existem soluções e tratamentos para problemas hormonais bem como para condições que estejam provocando a disfunção erétil. É por isso que se torna essencial buscar ajuda, conversar sobre o problema e obter uma qualidade melhor de vida. A parceria entre marido e companheira(o) é essencial para evitar que a impotência se torne um empecilho na vida do casal. E é exatamente sobre essa parceria que o nosso próximo tópico vai falar.

Cuidado, carinho e paciência também ajudam

O que fazer se o marido ou namorado é impotente? Antes de mais nada é preciso cuidado, paciência e compreensão.

Essa é uma situação delicada tanto para ele quanto para você. Porém, certamente é inevitável que uma solução precise ser encontrada para melhorar o relacionamento (tanto na parte emocional quanto sexual). 

Então, após uma pesquisa sobre o assunto, busque falar sobre a disfunção erétil com o seu parceiro. É comum que as primeiras tentativas não saiam às mil maravilhas, mas é importante tentar. 

Também segundo a pesquisa da ProSex, os homens que sofrem com impotência apresentam um grande comprometimento da autoestima. Portanto, aborde o assunto com cautela e sem depreciar o seu companheiro. Ofereça seu apoio e ajuda, além de deixar claro que você está ali para escutá-lo e não para julgá-lo. E mais importante do que tudo isso: saiba ouvir o que ele tem a dizer. Isso te ajudará a sanar as suas inseguranças e é uma das formas de como a parceira pode ajudar na resolução da disfunção erétil.

Procurem juntos um especialista

Durante essa conversa, comunique o quão necessário é um especialista para solucionar o problema. Como vimos anteriormente, as causas da disfunção erétil vão desde problemas menores até condições que precisam de tratamento urgente, como câncer de próstata. 

Existem também fatores emocionais e psicológicos, como depressão ou ansiedade, que também precisam de cuidados. Todos esses problemas podem se agravar e levar a consequências para além da vida sexual.

Então, para garantir uma vida saudável dentro e fora do relacionamento, é essencial consultar um médico especializado no assunto (existem soluções online justamente para isso). Tentar adivinhar o problema pode tornar as coisas piores.

Qual especialista procurar?

Existem especialistas dedicados a cuidar da saúde masculina com discrição e seriedade. O ideal é passar antes de mais nada por uma consulta com um urologista.

Se as causas físicas forem descartadas, o médico também pode encaminhar o caso para um psicólogo ou terapeuta sexual.

O importante é procurar o quanto antes um profissional para identificar e solucionar o problema. Converse com o seu parceiro e deixe claro que médicos atendem os mais variados casos de impotência sexual todos os dias. Durante a consulta ele não será julgado! 

Conclusão

Resumindo, se o seu marido ou parceiro tem disfunção erétil, você como pessoa companheira pode ajudar:

  • pesquisando e entendendo um pouco mais sobre disfunção erétil, suas causas e como elas afetam o homem;
  • conversando e entendendo a situação pessoal do seu parceiro;
  • oferecendo seu apoio, sem julgamentos;
  • indicando possíveis especialistas para tratamento do problema;
  • buscando ter paciência ao notar certa relutância na abordagem do assunto.

Todos esses esforços serão cruciais para manter um relacionamento baseado na parceria e respeito. O apoio é essencial para que os homens busquem soluções profissionais para a disfunção erétil.


Referências

Consulte online um médico ou psicólogo especializado em sexualidade

A Omens é uma plataforma de saúde dedicada à saúde sexual e mental, que reúne médicos urologistas, terapeutas sexuais e farmacêuticos com o objetivo de construir soluções seguras, de qualidade e acessíveis a todos.

Por isso, a plataforma permite que você consulte online médicos especialistas em temas sobre sexualidade, além de psicólogos sexólogos. As consultas online podem ser feitas por mensagens, pelo celular ou por videochamada, por exemplo, além de apresentar muitas outras vantagens:

  • Consulte um médico ou psicólogo especializado na área, que trata diariamente de problemas relacionados ao sexo.
  • Pague menos da metade do valor de uma consulta presencial com um urologista.
  • Agende uma consulta para o mesmo dia! (no Brasil, aliás, muitos pacientes têm de esperar vários meses até conseguir agendar uma consulta presencial com um urologista)
  • Peça pela plataforma os medicamentos necessários para o seu tratamento e, então, eles serão entregues discretamente na sua casa por uma farmácia certificada
  • Além disso, evite o desconforto ou a vergonha na sala de espera de um consultório ou em farmácias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *