O cravo-da-índia é mesmo afrodisíaco?

BLOG OMENS / Outros produtos
Escrito por

Caio Vega

Revisado por

Dr. João Brunhara

CRMSP 161.642
Última atualização

25 de fevereiro 2021

As medicinas tradicionais usaram e usam o cravo-da-índia há séculos. Muitos acreditam que ele tenha diversas propriedades medicinais, podendo ser utilizado como analgésico, no tratamento de problemas digestivos, de mau hálito e também no tratamento de reumatismos. Além disso, alguns até afirmam que o cravo é afrodisíaco.

É verdade isso mesmo? Bem, é sobre isso que vamos falar no post de hoje!

Propriedades do cravo-da-índia

As plantas que recebem a fama de afrodisíacas geralmente também ganham popularidade como ingredientes terapêuticos – às vezes com razão, às vezes nem tanto. Vamos analisar, então, o que acontece com o cravo: 

Efeitos terapêuticos do cravo

Podemos atribuir ao cravo-da-índia diversas propriedades benéficas à saúde. 

Em primeiro lugar, temos suas propriedades analgésicas. Durante muito tempo, o cravo tem sido usado para aliviar dores. Segundo pesquisas, o extrato do cravo-da-índia obteve efeitos analgésicos em animais.

Mastigar uma flor de cravo permite amenizar uma dor no dente, por exemplo. Aliás, essa prática, utilizada popularmente pelos chineses, remonta a mais de dois mil anos atrás. Os gregos e romanos também usavam o cravo-da-índia como remédio. 

Mastigar cravo, como recurso secundário, também pode ajudar a melhorar um problema de mau hálito. 

Outras pesquisas apontam que é possível que o cravo-da-índia também tenha um efeito antifúngico e antisséptico, combatendo bactérias e fungos e prevenindo infecções.

Isso porque há uma certa quantidade de eugenol no cravo. Podemos encontrar essa substância em diversos enxaguantes bucais e produtos antissépticos, principalmente em produtos odontológicos. Possivelmente, o composto também seria eficaz no tratamento de infecções urinárias.

CONSULTAR UM

UROLOGISTA ONLINE

Por que esperar para resolver algo que tem solução?

CONSULTAR UM UROLOGISTA ONLINE

Por que esperar para resolver algo que tem solução?

Também encontramos no cravo propriedades anti-inflamatórias, e o salicilato de metila é o principal responsável por isso. Identificamos essa substância, da mesma família da aspirina, em alguns anti-inflamatórios destinados a aliviar a inflamação de músculos, tendões e ligamentos.

Do mesmo modo, o cravo-da-índia também poderia amenizar problemas digestivos, como inchaço e aerofagia. Além disso, é um dos alimentos disponíveis com maior teor de antioxidantes. 

Vale lembrar, por fim, que não há estudos científicos que atestem formalmente todas essas propriedades. Porém, assim como outros afrodisíacos, o consumo regular de cravo integrado a uma alimentação balanceada pode, sim, trazer bons resultados a longo prazo. 

Efeito afrodisíaco do cravo

Da mesma forma, agora vamos à reputação afrodisíaca do cravo-da-índia!

Também se sabe que ela ainda não foi cientificamente comprovada devido à falta de estudos maiores sobre o tema. Já foram feitas pesquisas em ratos que sugerem que ele pode aumentar a atividade sexual, mas os resultados ainda são incertos e isso está longe de ser uma prova de que funcione.

O que podemos afirmar é que, quando consumido com regularidade e em baixas doses, o cravo não faz mal ao corpo – e certamente não prejudica a libido

Outros aspectos sugerem que o cravo-da-índia pode melhorar a circulação sanguínea. Esse aspecto pode contribuir significativamente para o tratamento da disfunção erétil. 

Algumas pesquisas da medicina fitoterápica sugerem que o cravo também pode reduzir o período refratário (o período de tempo após a ejaculação, em que o pênis não consegue ficar ereto novamente). Há médicos que o prescrevem como complemento ao tratamento da ejaculação precoce.

Também se sugeriu que o cravo-da-índia consumido na dosagem correta aumenta os níveis de testosterona, embora as pesquisas científicas não deem isso como certo. Dessa forma, como a testosterona é o principal hormônio sexual masculino, aumentar sua produção poderia provocar um efeito positivo sobre a libido. 

Perigos do cravo-da-índia

Por fim, saiba que o cravo pode causar efeitos indesejáveis, particularmente em caso de overdose. Por isso, adote sempre um consumo moderado e, em caso de prescrição como fitoterápico, respeite a dose indicada pelo médico. 

A dosagem irá depender da forma de consumo: para o cravo em pó, por exemplo, recomenda-se não ultrapassar as 0,3 g (300 mg) diárias; quando utilizado como óleo essencial, 2 ml é o limite máximo. Essas indicações ainda podem variar de acordo com o peso do indivíduo. Portanto, recomendamos consultar antes um médico caso queira iniciar um tratamento com cravo-da-índia.

Também é necessário tomar cuidado com os óleos essenciais: geralmente eles são muito fortes; além disso, podem provocar queimaduras ou irritações quando aplicados puro na pele.  

Os efeitos adversos do cravo são principalmente gastroenterológicos e ocorrem na maioria das vezes em caso de ingestão de quantidades exageradas (overdose): náusea, vômito e diarreia.

Desaconselhamos o consumo de cravo-da-índia a mulheres grávidas ou que estão amamentando. Por fim, também não se recomenda tratamentos com cravo a crianças com menos de 12 anos de idade.

Concluindo: o cravo é afrodisíaco?

Há poucas evidências que confirmam que o cravo-da-índia traga benefícios à sexualidade. Portanto, ainda é incerto dizer que o cravo é afrodisíaco. No entanto, o consumo do produto natural em doses pequenas não traz malefícios e pode ser útil para quem quiser experimentar os seus efeitos na saúde. Eventualmente o paciente pode testar um uso fitoterápico em dose controlada.

Consulte um médico especializado em sexologia na Omens

Omens.com.br é uma plataforma de saúde dedicada ao homem. Ela reúne urologistas, sexólogos e farmacêuticos para construir uma solução de qualidade, segura e acessível a todos.

A plataforma permite que você se consulte online com médicos especializados em sexologia. A consulta online pode ser feita por mensagem, telefone ou videochamada, além de apresentar muitas outras vantagens:

  • Consulte um médico especializado em sexualidade, que trata de distúrbios relacionados ao sexo diariamente.
  • Pague menos da metade do valor de uma consulta presencial com um urologista.
  • Agende uma consulta dentro de 24 horas (a espera média para uma consulta com um urologista especializado em sexologia no Brasil é de vários meses).
  • Peça pela internet os medicamentos necessários ao tratamento e eles serão entregues discretamente na sua casa por uma farmácia perto de você.
  • Evite o desconforto na sala de espera de um consultório ou na farmácia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *