Omenscast #32: Herpes genital

Omenscast, o minicast da sua saúde sexual: hoje falaremos sobre herpes genital
BLOG OMENS / Sexualidade
logo da Omens
Escrito por

Caio Vega

Revisado por

Dr. João Brunhara

CRMSP 161.642
Última atualização

29 de junho 2022

No nosso 32º episódio do Omenscast, o médico urologista João Brunhara vai falar sobre a herpes genital, que infelizmente afeta muitas pessoas no Brasil e no mundo todo. Vamos falar sobre tratamentos e prevenção?

Seja bem-vindo ao blog da Omens e fique à vontade para ouvir o nosso podcast! A transcrição do áudio também está logo abaixo.

Se você chegou aqui, você quer saber mais sobre uma infecção bem chata e que incomoda muitas pessoas: a herpes genital. E, por ser uma infecção que fica indo e voltando, muitos pacientes nos perguntam se a herpes genital tem cura, ou seja, se a herpes genital tem tratamento definitivo ou apenas controle das crises.

Então, vamos falar sobre tratamento, prevenção e tirar as suas dúvidas!

Eu sou João Brunhara, médico urologista, e esse é o podcast da Omens sobre saúde sexual masculina.

Primeiro, a explicação mais básica:

A herpes genital é uma infecção causada por um vírus chamado herpes vírus, que pode ser do tipo 1 ou 2. O tipo 1 está mais ligado ao herpes labial, enquanto o tipo 2 tem mais relação com o herpes genital. Mas sabemos que qualquer um deles pode causar os 2 tipos de infecção. E, por sinal:

É comum ter herpes genital?

O contato com o vírus da herpes é extremamente comum, e alguns estudos estimam que quase 80% das pessoas já entraram em contato com o herpes 1 ou 2. Mas nem todo mundo que entra em contato desenvolve as lesões genitais. Mesmo assim, só no Brasil são mais de 600 mil novos casos por ano.

A herpes genital tem transmissão por contato, ou seja, uma pessoa irá contrair o vírus ao entrar em contato com a secreção ou propriamente com uma lesão de herpes de uma pessoa infectada, e que esteja numa crise ativa da doença.

Algumas pessoas também transmitem a herpes enquanto não estão com nenhuma lesão visível, porém isso é mais comum no primeiro ano, após ter entrado em contato com o vírus pela primeira vez.

E como são as feridas da herpes genital?

Tanto na herpes genital feminina quanto na masculina, a lesão inicia como uma confluência de pequenas bolhas, que depois se rompem e se transformam em feridas superficiais chamadas úlceras, que têm também uma vermelhidão ao redor. Porém, nas mulheres, muitas vezes as lesões estão no interior da vagina e, por isso, não são visíveis por fora, se manifestando apenas como corrimento ou dor. 

Além da própria lesão, os sintomas da herpes genital variam dependendo se for o primeiro contato, chamado de infecção primária, ou se for uma recorrência. Na infecção primária, é comum existirem sintomas gerais como febre e mal-estar, além de uma dor mais forte no local e do inchaço de gânglios na região da virilha – chamados popularmente de íngua. Já nas crises de recorrência, a dor tende a ser menor; e muitas vezes pode surgir uma dor leve, coceira ou desconforto alguns dias antes de surgirem as bolhas. Assim, pessoas que já estão acostumadas conseguem pressentir quando está chegando uma crise.

E quanto tempo dura a crise de herpes genital?

No geral, a duração da crise costuma ser de 7 a 10 dias. Porém, na infecção primária, esse tempo pode ser mais longo.

Tratamento das crises de herpes

E o que é bom para curar a herpes genital? Infelizmente não conseguimos erradicar ou curar definitivamente a herpes, mas sim combater o vírus para cortar a crise de herpes.

O remédio para herpes genital mais utilizado se chama aciclovir. Essa  medicação é um antiviral para herpes genital, que combate o vírus e acelera a recuperação, além de reduzir a transmissão da doença. Além do aciclovir, existem outras opções da mesma classe, como o valaciclovir.

Normalmente a duração do tratamento é de 7 a 10 dias. E, para pacientes que estão acostumados com recorrência das crises, o ideal é iniciar o tratamento assim que começarem os primeiros sinais de desconforto que antecedem o aparecimento das bolhas. Sendo assim, às vezes conseguimos até abortar a crise antes do surgimento de lesões.

E uma pergunta muito frequente que os médicos recebem é de como secar o herpes genital mais rápido. O uso de uma pomada para herpes genital, como, por exemplo, aciclovir em formato de creme, pode acelerar um pouco essa recuperação, porém os estudos mostram que a diferença não é muito significativa.   

Como evitar as crises recorrentes de herpes genital?

E agora a pergunta que todo mundo que tem essa doença mais quer saber: como evitar as crises da herpes genital?

Sabemos que após a primeira infecção, o vírus fica adormecido, mas tende a causar novas crises de tempos em tempos. Em algumas pessoas, essas recorrências podem demorar de meses a anos para acontecer, enquanto em outras, as crises podem voltar várias vezes no intervalo de alguns meses.

Essas recorrências tendem a acontecer mais nos primeiros anos da doença e geralmente são desencadeadas por fatores como estresse, falta de sono, traumatismos locais, excesso de exposição solar, outras infecções no corpo ou queda da imunidade. Porém, em algumas situações, não conseguimos identificar nenhum fator desencadeante.

De qualquer forma, uma recomendação para evitar essas recorrências é manter um estilo de vida saudável, com sono regulado, alimentação balanceada e controle do estresse. Também vale o conselho de evitar o excesso de exposição solar e os traumatismos locais.

Um detalhe da alimentação é evitar os alimentos ricos em arginina, pois esse aminoácido pode facilitar as recorrências. Na prática, isso significa restringir o consumo de nozes, castanhas, aveia, granola, grãos integrais e frutas cítricas. 

Quanto a medicações, algumas evidências sugerem que a lisina pode ser um suplemento que auxilia na prevenção de recorrências. E, em casos de difícil controle, pode ser indicada uma dose diária de antiviral para evitar as novas crises, porém esse tipo de uso da medicação não deve ser feito de rotina ou sem uma indicação médica, pois é uma medida de exceção.

Conclusão

A herpes genital é uma infecção incômoda que, apesar de não ter cura, pode ser controlada por meio de medicações e ajustes de estilo de vida. Se você sofre com crises recorrentes de herpes genital, se consulte com um urologista para buscar o melhor tratamento para o seu caso.

E, se você tem mais dúvidas ou comentários, continue essa conversa nas nossas páginas no Youtube, Facebook, Instagram, TikTok ou no blog. Te vejo lá!

4 comentário(s) sobre “Omenscast #32: Herpes genital

  1. Pedro says:

    Olá, sou homem e tenho namorada.
    Acabei ficando com uma pessoa fora do meu relacionamento e tive relações com ela sem o uso de preservativo. A pessoa também tinha um parceiro, porém de acordo com a mulher, ela não estava tendo relações com outra pessoa durante mais de 2 semanas pelo fato dele ter viajado. Então tive relação com ela 2 vezes no período de 2 semanas e não vi ela se queixar de nenhum problema nem antes, nem durante e nem alguns dias depois da nossa relação.
    Por outro lado, minha namorada está tentando fazer uma cirurgia e pra isso o médico pediu alguns exames gerais. Um deles foi verificação de infecção urinária realizada há um pouco mais de uma semana, o que foi constatado como positivo pra infecção urinária sem ela apresentar sintomas. Ela teve que tomar remédio pra infecção e passados 3 dias ainda durante o tratamento tive relação sexual anal e com ela, e passados mais 7 dias após o início do tratamento, tive relações sexual anal e oral com ela em dois dias. Nessa última fiquei com uma ferida parecida com áfita labial, só que na parte em torno do meu pênis… Não consigo saber o que causou a ferida (nisso faz 3 dias), mas desconfio que seja herpes genital. Comprei hoje, após quase 12 dias dela ter constatado a infecção dela, pomada para herpes genital e comprimidos para combater infecção urinária, pois também tenho sentido um pouco de ardência durante a urina e tive uns sintomas de coceira em torno do pênis.

  2. Oneide says:

    Oi tenho 16 anos de casada mas acho qui tenho uns três de sintoma mas é a premeira vez qui saiu uma bolinha de água e eu consultei e estou assustada pq não tem cura estou pesquisando muito sobre isso e não sei o certo de quanto tempo tenho

  3. Maurili Maria Da Silva says:

    sou casada há 15 anos há três anos atrás participei de uma palestra sobre saúde e agora que acontece aqui
    começaram sair umas bolinhas avermelhada
    na minhas partes íntimas
    porém elas coçam causam muito incômodo lembrei que na palestra conversamos sobre isso e o que causaria isso tiver a concepção de que na palestra foi explicado esse aqui com um vírus
    virus.exe que sexualmente transmissível resolvi ir mais a fundo e pesquisar sobre os sintomas suas respostas me caiu super bem tirei minhas dúvidas
    acabei descobrindo que depois de 15 anos de causada meu esposo me fez o favor de me transmitir esse vírus obrigada por tirar todas as minhas dúvidas .

  4. No name says:

    Sou do sexo feminino, e adquiri a Herpes Genital há alguns dias e estou sofrendo muito com os efeitos da doença. É difícil sentar, levantar, andar. Tive muita febre, falta de apetite, perdi 2kg em menos de 1 semana por não conseguir me alimentar e estar somente a base de águas e sucos, pois qualquer alimento que eu coloque na boca, me dava muita gastura.
    Seu artigo me ajudou bastante em relação a algumas dúvidas que eu tinha. Obrigada 🙏🏻

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *