Omenscast #27: Novembro azul

Omenscast, o minicast da sua saúde sexual: hoje falaremos sobre o Novembro azul
BLOG OMENS / Sexualidade
logo da Omens
Escrito por

Caio Vega

Revisado por

Dr. João Brunhara

CRMSP 161.642
Última atualização

17 de novembro 2021

No nosso 27º episódio do Omenscast, o médico urologista João Brunhara vai falar sobre o surgimento e os verdadeiros objetivos do novembro azul, trazendo informações importantes sobre saúde sexual masculina.

Seja bem-vindo ao blog da Omens e fique à vontade para ouvir o nosso podcast! A transcrição do áudio também está logo abaixo.

Chegou o mês em que a saúde masculina fica no centro da atenção: novembro, ou melhor, o novembro azul. Talvez você já tenha visto o laço do novembro azul e algumas matérias sobre câncer de próstata. Mas você já se perguntou o que é o novembro azul e, mais especificamente, qual o objetivo da campanha do Novembro Azul?

Hoje vou te contar como surgiu o Novembro Azul e quais são os principais focos dele na saúde masculina, indo muito além do debate sobre o câncer de próstata.

Eu sou João Brunhara, médico urologista, e esse é o podcast da Omens sobre saúde sexual masculina.

Origem do Novembro Azul

Cuidar da saúde devia ser um cuidado para o ano inteiro. Mas nós sabemos que isso nem sempre acontece, e principalmente com os homens, que costumam ser bem descuidados com a saúde. Um estudo mostrou que, no Brasil, dos homens de até 40 anos, 40% só procuram um médico se estão se sentindo mal (e 20% dos mais velhos mantêm essa mesma mentalidade) – o que, como você pode imaginar, é muito ruim em termos de prevenção.

Pensando nisso, o Novembro Azul é uma iniciativa que busca atrair atenção para a saúde masculina e os principais problemas que atingem os homens. O câncer de próstata é um dos principais, mas não o único. 

Onde surgiu o Novembro Azul?

Em 2004, um grupo de pessoas na Austrália criou uma campanha chamada Movember, juntando o diminutivo “Mo” de moustache (que é bigode em inglês) e o mês de novembro. A ideia era deixar o bigode crescer e chamar atenção para debates sobre câncer de próstata e depressão masculina. Se você tinha curiosidade, essa é a origem do bigode do novembro azul que a gente vê em campanhas hoje em dia. Desde então, o movimento cresceu, fomentou a criação de uma fundação e se expandiu da Austrália para o mundo. 

Quando começou a campanha Novembro Azul no Brasil?

Em 2011, o Instituto Lado a Lado pela vida lançou a campanha do novembro azul em parceria com a Sociedade Brasileira de Urologia, trazendo temas importantes, como quebrar o tabu sobre o exame de toque retal, promover a prevenção e o diagnóstico precoce de doenças e estimular os homens a se consultarem com um médico.

Outubro Rosa e Novembro Azul

Vale lembrar que o Novembro Azul vem logo na sequência de outro mês muito importante por conta de uma campanha de conscientização: o Outubro Rosa, que traz atenção para o diagnóstico precoce do câncer de mama. 

Claro que a saúde deve ser uma prioridade em todos os meses do ano. Mas campanhas como o Outubro Rosa e Novembro Azul são importantes por chamarem a atenção e trazerem o tema da prevenção para o cotidiano. Se pelo menos durante um mês, conseguirmos trazer as pessoas para uma consulta anual de acompanhamento, já teremos ajudado a prevenir complicações de doenças e evitar mortes.

Quais os temas abordados pelo Novembro Azul?

E, então, quais são os principais temas abordados pelo Novembro Azul? A ideia não é falar de uma única doença, mas sim de promover cuidados à saúde masculina, prevenir e possibilitar o diagnóstico precoce de doenças.

Câncer de próstata

De fato, o carro chefe das discussões é o diagnóstico precoce de câncer de próstata. Afinal, só no Brasil são 65 mil novos casos por ano. E, para o diagnóstico, é necessário explicar sobre os exames de rastreio, que são o exame de toque retal e um exame de sangue chamado PSA. E, naturalmente, falar sobre toque retal para homens envolve quebrar o tabu e preconceitos que ocorrem ao redor desse exame físico; exame que é rápido, indolor e não afeta de forma alguma a masculinidade, ou seja, que não deveria ser tabu nenhum.

Cabe também um esclarecimento: hoje na medicina existem correntes que não favorecem os exames de rastreio do câncer de próstata, por considerarem que o custo-benefício não compensa. Ainda assim, as sociedades brasileira, americana e europeia de urologia recomendam realizar os exames, e mesmo algumas sociedades que não recomendam fazer os exames na rotina, preconizam que essa possibilidade seja oferecida ao paciente.

A recomendação é iniciar o rastreamento aos 50 anos de idade no geral, ou aos 45 para quem tem histórico familiar ou predisposição genética, sendo que indivíduos de raça negra entram nesse grupo de risco. Por sinal, se você quiser saber mais sobre câncer de próstata, não perca nosso podcast especial sobre essa doença.

Incentivo à consulta médica

Mas não é só o câncer de próstata que entra na discussão. A realização de um check-up regular também é assunto do novembro azul. E, fazendo consultas periódicas, é possível atuar na prevenção de outros problemas como diabetes, hipertensão, aumento do colesterol, entre outros. E também são importantes orientações sobre a detecção de outros problemas, como o câncer de testículo e o câncer de pênis.

Em uma regra simples, se algo de estranho começar a acontecer, como aumento do volume do testículo ou uma ferida no pênis, o indicado é procurar um médico sem demora.

Câncer de pênis

Mas, falando um pouco mais sobre o câncer de pênis… Esse tipo de câncer poderia ser quase 100% evitado apenas com higiene adequada e a procura rápida por ajuda quando alguma ferida surge no pênis. Tanto é assim, que o câncer de pênis praticamente desapareceu em muitos países desenvolvidos, mas infelizmente acometeu 10 mil brasileiros nos últimos 5 anos. E, por sinal, a maioria desses pacientes demorou mais de 1 ano para procurar ajuda, seja por vergonha, falta de informação ou acesso.

E, justamente por isso, o instituto lado a lado lançou uma outra campanha, a Lave o dito cujo, para trazer informação sobre a higiene correta do pênis e dessa forma atuar na prevenção do câncer de pênis. Não custa reforçar: para a higiene do pênis não adianta só lavar por fora, tem que puxar a pele, que é o prepúcio, e lavar com bastante água e sabão a cabeça do pênis, a chamada glande.

Estilo de vida e saúde mental

Só que saúde não é só evitar doenças: ter um estilo de vida saudável, praticar esportes, ter uma alimentação balanceada, cuidar da saúde mental, enfim… Todos esses fatores compõem a saúde, e a mensagem principal é justamente essa: se cuidar. 

E, vale um destaque importante na saúde mental: a depressão masculina pode ser silenciosa e difícil de perceber, justamente porque homens tendem a esconder seus problemas e não pedir ajuda. Estima-se que até 12% dos homens podem desenvolver depressão em algum momento da vida, ou seja, é mais comum do que muita gente imagina. E, por isso, devemos estar atentos a essa possibilidade e não relutar em pedir ou oferecer ajuda. 

Se você tem dúvidas ou comentários, continue essa conversa nas nossas páginas no Youtube, Instagram, Facebook, TikTok ou no blog. Te vejo lá!

Inicie o tratamento da sua casa consultando um urologista online

Consultas por chat, vídeo ou celular com médicos especialistas em saúde sexual masculina (preço médio de R$ 69).

Tudo em um lugar só: prescrição de receita, encaminhamento para exames adicionais e entrega de medicamentos a domicílio.

Agendar Teleconsulta

e iniciar tratamento já!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *