Tudo que você precisa saber sobre congelamento de óvulos

casal feliz com a gravidez realizada a partir de óvulos congelados
BLOG OMENS / Sexualidade
logo da Omens
Escrito por

Caio Vega

Revisado por

Dr. João Brunhara

CRMSP 161.642
Última atualização

18 de maio 2022

O congelamento é uma técnica de preservação de fertilidade para pessoas do sexo feminino. Assim como congelamos um alimento quando queremos preservá-lo, congelar óvulos é a alternativa oferecida pela ciência para prolongar a vida fértil de quem deseja ganhar um pouco mais de tempo antes de ter filhos. 

Para manter as células preservadas, em vez de um freezer convencional é necessário utilizar um tanque de nitrogênio líquido. Essa substância reduz a temperatura a 196 graus negativos em poucos minutos, o que reduz o metabolismo dos óvulos, impedindo que eles morram.  

Quer saber todos os detalhes sobre o congelamento de óvulos? Então continue com a gente! 

Congelamento de óvulos: como funciona?

De uma maneira resumida, o processo de congelar óvulos pode ser descrito como a coleta das células (óvulos) de uma pessoa com ovários e armazenamento das mesmas em nitrogênio líquido.

Parece simples, não? Pelo menos é mais simples do que a maioria das pessoas pensa! Mas existem alguns procedimentos importantes entre um passo e outro.

  • Estímulo ovariano controlado: esse é o tratamento utilizado para estimular o ovário a produzir o maior número de folículos possíveis (que darão origem a um óvulo maduro) em um único ciclo. Essa fase costuma durar entre 10 e 12 dias e aumenta a chance de se conseguir um bom resultado na hora da coleta.
  • Punção ovariana: momento em que os óvulos são retirados. O procedimento é feito em ambiente cirúrgico e a paciente recebe uma sedação leve. Tudo ocorre por meio de um ultrassom endovaginal com uma agulha que irá aspirar os óvulos dos folículos.
  • Criopreservação: esse é o nome técnico do congelamento de óvulos – criopreservação por vitrificação. Depois de serem avaliados por um embriologista (que irá congelar apenas os óvulos viáveis para uma gestação saudável), passam por uma preparação especial e são, enfim, armazenados no nitrogênio líquido.

Congelamento de óvulos: idade máxima para o procedimento

Depois de saber como funciona o congelamento de óvulos, a maioria das pessoas se pergunta coisas como: dá pra congelar óvulos aos 39 anos? Congelamento de óvulos aos 43 anos é possível? Para essas questões e todas as outras relacionadas, a resposta é uma só: depende.

Apesar de não existir uma idade limite para o congelamento de óvulos, sabemos que as taxas de sucesso ficam menores conforme a idade avança.

Mas não é só a idade que deve ser levada em conta nesse momento: congelar os óvulos é uma decisão que deve ser individualizada, respeitando não só a idade e reserva ovariana da pessoa, mas também seus planos e desejos. 

Quanto custa para congelar óvulos?

Ao falar em congelar os óvulos, preço costuma ser o fator que mais preocupa todas as pessoas. Por mais que o procedimento esteja se tornando mais rotineiro, há quem pense que congelamento de óvulos é algo reservado só para milionários. 

Não é bem assim. Apesar de não ser exatamente barato, é possível encontrar diferentes opções de preço final, já que congelar óvulos envolve custos diversos, que vão além da clínica de congelamento de óvulos que realizará o procedimento e que também variam de acordo com a região.

Mas, em média, quando o assunto é congelar óvulos o valor costuma ficar entre R$11 mil e R$20 mil por ciclo.

Pessoas diagnosticadas com uma reserva ovariana baixa (ou seja, um “estoque” reduzido de óvulos) podem precisar realizar o procedimento mais de uma vez. Isso para atingir um número suficiente de óvulos preservados (entre 8 e 15), aumentando suas chances de fertilização.

Como saber se tenho reserva ovariana baixa? 

Hoje em dia, o congelamento de óvulos já faz parte do conhecimento geral da maioria das pessoas. Os detalhes podem até ser confusos, mas o conceito todo mundo entende.

Mas, quando falamos em reserva ovariana, a coisa se complica.

O estoque de óvulos de cada pessoa é um elemento bastante importante na decisão de congelar óvulos ou não – ou pelo menos deveria ser. Muita gente se pergunta se é possível congelar óvulos aos 39 anos sem saber que a resposta não está necessariamente na idade, mas sim na reserva ovariana da pessoa. Estamos falando de uma característica única, que deve ser avaliada de forma personalizada.

A boa notícia é que descobrir essa informação é mais simples do que parece. Assim, basta um exame de sangue (a dosagem do hormônio antimülleriano) e uma avaliação de um ginecologista especialista em fertilidade, que irá interpretar os dados à luz de informações pessoais como estilo de vida e histórico de saúde. 

Com isso, fica mais fácil estimar as chances de sucesso do congelamento de óvulos em uma primeira tentativa, e também se, fisiologicamente, vale a pena congelar óvulos naquele momento. A Oya Care oferece tudo isso através da Descoberta da Fertilidade, uma jornada para quem busca destravar conhecimento sobre vida fértil de maneira prática, segura e acolhedora.

Quais são as chances de engravidar com óvulos congelados?

Antes de encerrar nossa lista de perguntas mais frequentes quando o assunto é congelamento de óvulos, não podemos deixar de falar sobre o resultado final esperado pela maioria das pessoas que recorre ao procedimento: a gravidez. 

Vários fatores podem influenciar nas taxas de gravidez e bebês nascidos vivos. O principal deles, como já dissemos, é a idade em que a pessoa realizou o congelamento.

Infelizmente, quanto maior a idade, menores são as taxas de bebês nascidos vivos. É por isso que dizemos que é possível fazer o congelamento de óvulos aos 43 anos, por exemplo. Mas é importante levar as estatísticas em conta antes de tomar a decisão e criar expectativas. 

Embora seja necessário analisar todas essas informações com outros dados relevantes, como o histórico de saúde da pessoa que irá engravidar e a qualidade dos óvulos congelados, podemos dizer que, em média, as taxas de sucesso (ou seja, uma gravidez que resulta em um bebê nascido vivo) gira em torno de 43% a 49%.

Quero congelar meus óvulos, o que fazer?

Tirou suas dúvidas e decidiu que o congelamento de óvulos pode ser uma boa opção pra você, mas não sabe como começar todo o processo? Calma, isso é mais do que normal!

Se informar deve ser o primeiro passo antes de qualquer decisão como essa, então podemos te garantir que você já começou muito bem.

Apesar de não estar oficialmente listado entre as etapas que fazem parte do congelamento de óvulos, por aqui nós recomendamos uma segunda jornada de aprendizado: agora é hora de se informar sobre o seu corpo. É importante fazer um check-up geral para ver como está sua saúde de maneira geral e também fazer exames específicos relacionados à sua fertilidade.

A descoberta da fertilidade

O mais importante deles, como já adiantamos, é aquele que vai medir a sua reserva ovariana. Sim, estamos falando da dosagem do hormônio antimülleriano, popularmente conhecido apenas como exame HAM. Para fazer isso com o máximo de apoio e acolhimento, nossa dica é a Descoberta da Fertilidade da Oya Care.

Mais do que um simples exame, o que a Descoberta oferece é um banho de conhecimento sobre a vida fértil de maneira prática e completa e atendimento personalizado e humanizado com médicas especialistas da área. E o melhor: tudo por um valor abaixo do mercado.

Se você está em dúvida se é hora ou não de congelar óvulos, o serviço pode te ajudar com informações concretas do seu corpo, para que você possa se decidir com mais segurança. Quer ainda mais autonomia sobre seu futuro? A equipe da Oya está preparada para te ajudar a construir um verdadeiro planejamento de vida fértil que leva em conta não só sua reserva ovariana, mas também sua realidade, seus planos e desejos para o que vem aí. 

Preparada para saber mais sobre congelamento de óvulos e ainda mais sobre seu corpo? Tudo começa com a Descoberta da Fertilidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *