Alfaestradiol capilar: como usar, efeitos colaterais e preço

homem em um salão aplicando alfaestradiol tópico nos cabelos
BLOG OMENS / Perda de cabelo
logo da Omens
Escrito por

Seth Zanette

Revisado por

Dra. Aline Erthal

CRMSP 199.764
Última atualização

16 de agosto 2023

A calvície pode atingir tanto homens quanto mulheres e cada caso pode apresentar características próprias. Para tratar essa condição existem medicamentos diversos e, dentre eles, está o Alfaestradiol Tópico. 

No artigo desta semana, a Omens fala um pouco sobre esse medicamento, sua eficácia no tratamento da calvície e em quais casos ele é recomendado. Então, vem com a gente descobrir mais sobre o assunto.

O que é o alfaestradiol?


O Alfaestradiol (ou 17α-estradiol) é um inibidor do estrogênio e da 5α-redutase. Ele é direcionado para o tratamento da calvície leve e moderada em homens e mulheres. É um medicamento tópico e é comercializado sob o nome de Avicis ou Tegan. 

Como o alfaestradiol age no corpo?

Ele age diretamente nas enzimas que transformam a testosterona em dihidrotestosterona. Como quem já se informa sobre calvície sabe, a DHT é uma das grandes responsáveis pelo afinamento capilar e perda progressiva dos cabelos. Ao aplicar o produto no couro cabeludo, age diretamente no folículo capilar, impedindo que a DHT afete o crescimento do fio.

Eficácia do Alfaestradiol


Existem poucos estudos sobre a eficácia do Alfaestradiol como tratamento único para a calvície. E as pesquisas que existem mostram uma inferioridade desse medicamento se comparado com o uso de outros, como o minoxidil, por exemplo. Vamos olhar os resultados de algumas das pesquisas realizadas com esse medicamento.

A primeira pesquisa foi publicada na revista Dermatology Practical and Conceptual e estudou os efeitos do Alfaestradiol em comparação com o Finasterida. 119 pacientes mulheres com calvície no pós-menopausa foram observadas durante 18 meses. Um grupo foi tratado com o 17α-estradiol 0.05% + Minoxidil 2% e o outro com finasterida 0.5% + minoxidil 2%. Apesar de ambos os grupos apresentaram melhora significativa no crescimento capilar, o grupo que foi tratado com finasterida teve resultados melhores.

Outra pesquisa interessante comparou o uso de minoxidil e alfaestradiol em dois grupos de pacientes durante 6 meses. Durante esse tempo, o grupo tratado com minoxidil 2% apresentou resultados positivos de crescimento na densidade capilar, enquanto o grupo tratado com alfaestradiol 0,025% não apresentou uma melhora ou piora no crescimento capilar, ficando estável. Após esses 6 meses iniciais, as pesquisas continuaram, dessa vez substituindo o uso do alfaestradiol 0,25% por minoxidil 2% alcançando a mesma melhora.

Em quais casos o Alfaestradiol é eficaz?

Como vimos nos estudos anteriores, a primeira escolha para o tratamento da alopecia androgenética ainda é a combinação de minoxidil e finasterida. O alfaestradiol pode ser utilizado em associação a esses medicamentos ou em casos em que o paciente tenha alguma contraindicação ao tratamento padrão.

Consulte um dermatologista ONLINE e comece o tratamento já

Marcar Teleconsulta Agora

Receba orientação médica sobre calvície: a partir de R$ 79

Modo de uso


O uso de alfaestradiol é simples. Por ser um medicamento tópico, ele é comercializado com um aplicador próprio para a região capilar. É também melhor tolerado no cabelo pelos pacientes do que o Minoxidil, já que geralmente não deixa o cabelo com aspecto pesado e oleoso. 

Para aplicar o alfaestradiol tópico você deve:

  • Deixar o frasco em posição vertical e desbloquear o lacre do aplicador, para que o produto saia;
  • Pegue o frasco e aplique na área afetada, deslizando suavemente pelo couro cabeludo;
  • Aplique até sentir a área levemente umedecida, sem que escorra pelo rosto.

A frequência de aplicação deverá ser discutida diretamente com o médico dermatologista. Como já comentamos em tópicos anteriores, pode ser necessário associar alfaestradiol com outros medicamentos para perceber resultados positivos.

Cuidados na hora de utilizar o Alfaestradiol


A aplicação do Alfaestradiol precisa ser feita de acordo com a indicação médica. Aplicar mais quantidade do produto que o necessário não trará mais benefícios. Na realidade, pode trazer complicações no couro cabeludo, como ardência e coceira.

Além disso, evite aplicar alfaestradiol no couro cabeludo machucado. Sua composição possui álcool que pode levar a queimação, irritação e vermelhidão.

Efeitos colaterais


Os efeitos colaterais do alfaestradiol são poucos mas existem. Assim como todo medicamento, é necessário acompanhamento médico dermatológico para evitar complicações. 

Os efeitos colaterais mais comuns são:

  • Desconforto na pele do couro cabeludo;
  • Ardor;
  • Vermelhidão;
  • Pele ressecada;
  • Coceira.

Esses efeitos colaterais acontecem devido a presença do álcool na fórmula da loção com alfaestradiol. Se os sintomas pioraram, suspenda o uso e procure seu médico dermatologista o quanto antes para realização de exames.

Existem contraindicações no uso do Alfaestradiol?

Poucas, mas existem. Alfaestradiol é contraindicado para menores de 18 anos, gestantes e para quem estiver amamentando.

Preço


É possível adquirir Alfaestradiol tópico em farmácias locais, online ou encomendar a manipulação do medicamento. A dosagem mais comum de alfaestradiol é a de 0,25% e é possível encontrar o medicamento associado ao minoxidil. 

  • Minoxidil 5% + Alfaestradiol 0,25% em formato loção com 100ml está atualmente no mercado com uma faixa de preço de R$ 90 a R$ 120.
  • Alfaestradiol genérico 0,25% em formato loção com 100ml está atualmente no mercado com uma faixa de preço de R$ 80 a R$ 90.
  • Alfaestradiol Tegan 0,25% em formato loção com 100ml está atualmente no mercado com o valor de R$ 100;
  • Alfaestradiol Avicis 0,25% em formato loção com 100ml está atualmente no mercado com o valor de R$ 180.

As melhores fórmulas para você: minoxidil, spray ou oral

Marcar Teleconsulta Agora

Consulte um dermatologista ONLINE e manipule o seu tratamento já!

Existem outras opções de medicamentos para tratar a calvície?


Sim, existem muitas outras alternativas para tratar a calvície em homens e mulheres. Dentre elas podemos citar:

  • A Finasterida e a Dutasterida, que também inibem a ação da enzima que produz a DHT, responsável pela calvície masculina;
  • O Minoxidil, que ajuda a melhorar o crescimento dos cabelos, agindo diretamente no folículo capilar e nas fases de crescimento do cabelo;
  • Espironolactona, que ajuda no crescimento capilar para tratar a calvície feminina.

Converse com seu médico dermatologista para chegar a um consenso sobre como tratar o seu caso de calvície. Novos medicamentos e tratamentos terapêuticos surgem todos os dias e podem ser a solução para o seu caso.

Conclusão


Se você está procurando o melhor tratamento para a calvície, uma consulta dermatológica pode te indicar o melhor caminho. Como vimos, o alfaestradiol nem sempre é a melhor solução e pode ser necessária a associação com outros medicamentos para que apresente resultados satisfatórios. Por isso, uma consulta com um dermatologista pode ser bastante esclarecedora e te levar até a melhor forma de recuperar a autoestima.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?